O termómetro registava 35 graus, mas a sessão térmica era próxima dos 40 na
ensolarada tarde de domingo no estádio Maracanã. O Rio de Janeiro é uma cidade de clima quente, e a região norte da capital fluminense, onde se localiza o mítico recinto, é ainda mais abafada. Eram estas as condições de um estádio que explodiu, não em combustão, mas em êxtase com seus 65 mil adeptos e a fabulosa exibição do extremo Bruno Henrique, em mais uma contundente vitória do Flamengo sobre um acuado Corinthians, pela 30ª jornada do Brasileirão.

Eliminado de todas as competições do ano, com exceção ao título estadual, o
Corinthians entrou em campo pressionado por uma série de péssimas exibições e com o treinador Fábio Carille, fortemente contestado pelos adeptos corintianos, a disparar contra o elenco na véspera da partida. Já o Flamengo, de vento em popa na temporada, tentava manter a vantagem de oito pontos para o vice-líder Palmeiras na tabela de classificação. Com o calor excessivo, o jogo começou em ritmo lento, e a primeira chance real pertenceu aos forasteiros, no minuto 13’, com Gustavo a cabecear para ótima defesa de Diego Alves, e na sequência, o médio Ramiro rematou ao lado da baliza rubro-negra. O Flamengo tardou em aparecer ao ataque, e quando o fez, já quase perto do intervalo, o guarda-redes Cássio cometeu penálti em Arrascaeta. Gabriel, suspenso, deu lugar à Reinier no ataque, mas coube à Bruno Henrique ser o
cobrador do castigo máximo, que foi defendido por Cássio, mas para azar do guardião corintiano, a bola voltou a procurar justamente Bruno Henrique, que desta vez fez o gosto ao pé. Era a primeira explosão de alegria da massa rubro-negra no Maracanã. No minuto seguinte, viria a segunda explosão, após o primoroso lançamento de Gerson para um veloz Bruno Henrique rematar na saída de Cássio. Dois contra-ataques fulminantes do Flamengo que praticamente liquidaram o adversário.

A segunda parte começou rigorosamente igual à primeira, com Bruno Henrique a disparar em velocidade pelo corredor esquerdo e a rematar mais uma vez à saída de Cássio, fazendo o 3-0 com apenas 23 segundos de jogo na etapa final. Foi um rude golpe para o mais esperançoso dos corintianos, e uma alegria sem fim para o autor do hat-rick e a imensa torcida do Flamengo. Pouco depois, aos 51’, num raro momento de ataque do Corinthians, Pedrinho fez o centrou para a área e Mateus Vital respondeu de cabeça, com a bola a passar por baixo das pernas de Diego Alves. Nos minutos seguintes o Corinthians viria a reclamar de um penálti por marcar, com a bola a resvalar no braço de Éverton Ribeiro, mas o árbitro assim não entendeu e nem mesmo o VAR foi acionado. O golpe de misericórdia do Flamengo saiu ao minuto 67’, com o suplente Vitinho, que entrou no lugar de Reinier, a acertar um belo remate de longe, sem qualquer hipótese para defesa, mesmo para o gigante Cássio, de 1,96m de altura. Flamengo 4-1, a aumentar a invencibilidade no Brasileirão para 17 jogos, e com impressionantes 15 vitórias e somente dois empates no período. São 71 pontos, contra 63 do Palmeiras, e a caça ao líder agora tem somente mais oito jogos para o desfecho do campeonato.

O Palmeiras, que tenta manter-se otimista quando ao título de 2019 do Brasileirão, fez o dever de casa ao vencer, com muitas dificuldades, o Ceará, equipa que luta para escapar à despromoção. O médio Zé Rafael, aos 17’, fez o golo solitário do encontro. Nota de destaque para as várias e decisivas interversões do guarda-redes palmeirense Weverton, que salvou um golo certo já em cima da linha no último lance do jogo. Com mais oito jornadas para disputar, o Palmeiras, mais que vencer todos os seus compromissos, precisa torcer para que os comandados de Jorge Jesus percam ao menos dois jogos, isto porque Palmeiras e Flamengo enfrentar-se-ão na 36ª jornada, e
então, a liderança do Brasileirão poderia mudar de mãos, ou melhor, pés. Mas por tudo o que se tem visto, este Flamengo versão JJ é uma equipa (quase) imbatível hoje nos estádios brasileiros.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.