Num vídeo publicado nas suas redes sociais, o jovem tenista, de 22 anos, juntou tenistas masculinos e femininos, como as compatriotas Serena Williams e Cori Gauff, os franceses Gaël Monfils e Jo-Wilfried Tsonga ou a japonesa Naomi Osaka para dizerem "Stop It" (basta), face à morte do afro-americano George Floyd, de 40 anos, em Minneapolis, em 25 de maio.

O atual 81.ª do ‘ranking’ mundial e finalista do Estoril Open, em 2018, citou ainda Martin Luther King: “As nossas vidas terminam no dia em que permanecermos calados sobre o que importa”, acrescentando que “hoje devemos colocar as raquetes no chão e as mãos no ar”.

Tiafoe junta-se a um lote de desportistas, como o ex-jogador da NFL (futebol americano) Colin Kaepernick, o futebolista Marcus Rashford (Manchester United), o piloto Lewis Hamilton (Fórmula 1) ou Michael Jordan (ex-jogador da NBA), todos solidários com os manifestantes que reclamam justiça.

No dia de hoje, também os jogadores da equipa de futebol do Liverpool, campeão europeu e grande candidato ao título inglês, se mostraram solidários, ao colocarem-se no círculo central do relvado de Anfield Road, com um dos joelhos pousados na relva.

George Floyd, um afro-americano de 46 anos, morreu na noite de segunda-feira em Minneapolis, após uma intervenção policial violenta, cujas imagens em vídeo foram divulgadas através da internet.

Floyd foi detido por suspeita de ter tentado pagar com uma nota falsa de 20 dólares num supermercado.

No vídeo divulgado nas redes sociais, é possível ver um dos polícias, entretanto acusado de homicídio negligente, a pressionar o pescoço de Floyd com o joelho durante vários minutos, apesar de este ter dito que não conseguia respirar.

Desde então, várias cidades norte-americanas, incluindo Washington e Nova Iorque, têm sido palco de manifestações, com os protestos a resultarem frequentemente em confrontos com a polícia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.