A seleção portuguesa masculina de ténis de mesa venceu, esta quinta-feira, a Ucrânia por 3-0, num jogo em que se sentiu bem e conseguiu “motivação” para um “jogo difícil” na sexta-feira, em que se decide o apuramento para Tóquio2020.

Depois da vitória sobre os ucranianos no torneio de qualificação olímpica a decorrer no Multiusos de Gondomar, no distrito do Porto, Tiago Apolónia referiu a boa preparação, porque já tinham batido os ucranianos várias vezes, como no apuramento para o Euro2017, e tinham “muitos vídeos”.

“A preparação foi boa, o resultado foi bom”, resumiu o mesatenista, que, ao lado de João Monteiro, venceu por 3-0 Yevhen Pryschchepa e Yaroslav Zhmudenko, antes de fechar a eliminatória ao bater Pryschchepa por 3-1.

Pelo meio, Marcos Freitas admitiu as boas sensações de jogar em frente a um público português, realçando a importância de “ganhar os pares e bater o Ku Lei”, que o próprio venceu por 3-0, num resultado que “deu motivação e energia à equipa”.

Na sexta-feira, será frente a Bélgica ou Itália que os portugueses procuram carimbar o apuramento para Tóquio2020, num jogo que será “bastante difícil” independentemente do adversário.

“Temos de descansar bem, alimentar-nos bem, e amanhã [sexta-feira]estar de novo na máxima força”, vaticinou João Monteiro.

O torneio de qualificação olímpica por equipas no ténis de mesa prosseguiu hoje no Multiusos de Gondomar, no distrito do Porto, e decorre até domingo, com a participação das seleções portuguesas masculina e feminina.

Além de qualificar nove equipas, oito da primeira fase, em cada género, e mais uma por repescagem, a prova atribui igualmente uma quota de dois atletas para o concurso individual.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.