Valentino Rossi não foi além do 19.º melhor tempo no Qatar, onde decorrem os testes de pré-época de Moto GP. O piloto italiano da Yamaha está desesperado com a falta de desenvolvimento na moto, que continua com os mesmos problemas da época passada: aceleração e velocidade de ponta.

A equipa japonesa tentou corrigir os problemas esta época, ao trocar de engenheiro, com a saída de Kouiji Tsuya por troca com Takahiro Sumi. Mas nada mudou.

"Infelizmente continuamos um pouco lentos. Perdemos mais de 10 quilómetros em reta, em comparação com a Honda e a Ducati", sublinhou Rossi, depois de mais um dia de testes.

"Ainda não encontramos nada na eletrónica capaz de melhorar a aceleração", lamentava Maverick Viñales, depois de um dia de treinos no circuito de Losail, local da primeira prova do Mundial de MotoGP, apesar de o piloto espanhol ter conseguido o segundo melhor tempo, atrás de Alex Rins, dono da melhor volta.

"Conseguimos dar um passo em frente, mesmo numa pista que não oferece as melhores condições. [...] A moto é a melhor dos últimos anos mas os outros também melhoraram muito também. Esperava mais desta pré-temporada. Falta-nos um pouco para estarmos ao nível dos nossos concorrentes", acrescentou.

Rossi tinha outra opinião. Il Doctore continua sem conseguir tirar o melhor da moto e não sabe o que fazer.

"Não estamos aqui para ganhar. Espero estar enganado e Maverick [Viñales] ter razão quando diz que esta é a melhor Yamaha dos últimos anos. Experimentamos muitas coisas para ver se melhorávamos mas não conseguimos. Temos a base mas a verdade é que estou muito atrás e, quando estás atrás, estás sempre preocupado", sublinhou.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.