Os pilotos de Fórmula 1 Carlos Sainz Jr. e Lando Norris acederam a baixar os salários para limitar o impacto económico da pandemia da covid-19 na escuderia McLaren, confirmou hoje um porta-voz da equipa britânica.

“O Grupo McLaren colocou em trabalho parcial vários funcionários como parte das medidas mais amplas de corte de custos devido ao impacto da pandemia da covid-19 nas suas operações”, disse um porta-voz da escuderia ao site informativo Motorsport.com.

Segundo a mesma fonte, esta medida não se aplica apenas aos pilotos, mas diz respeito a todos os funcionários da McLaren, incluindo o diretor executivo Zak Brown, e a equipa britânica de F1 é a primeira a anunciar este tipo de decisão.

As oito primeiras corridas da temporada de F1 foram canceladas ou adiadas - bem como a implementação dos novos regulamentos técnicos, que darão origem a monolugares com aerodinâmica completamente redesenhada -, e o seu início está agora previsto para o dia 14 de junho, no Canadá.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 940 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 47 mil. Dos casos de infeção, cerca de 180.000 são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro de 2019, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde a declarar uma situação de pandemia, e o continente europeu é neste momento o mais atingido, acima de 508 mil infetados e 34.500 mortos.

Em Portugal, que está em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 17 de abril, registaram-se 209 mortes e 9.034 casos de infeções confirmadas, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.