A Federação Internacional do Automóvel (FIA) e a Fórmula 1 anunciaram ter assinado o quadro das Nações Unidas sobre as alterações climáticas, comprometendo-se a promover uma maior responsabilidade ambiental.

A entidade organizadora do Mundial de Fórmula 1 e a FIA garantiram estar também empenhadas em “promover o consumo sustentável e responsável” e em “reduzir os impactos climáticos”, implementando assim o quadro do desporto para as alterações climáticas.

Em novembro, a Fórmula 1 anunciou a intenção de reduzir a zero as emissões de CO2 até 2030, com base num plano que pretende “pôr em marcha de imediato”.

O plano divulgado pela FIA, o organismo regulador do desporto automóvel, contempla duas fases: até 2025, pretende que as corridas se tornem mais "sustentáveis", e, até 2030, ambiciona atingir a ‘neutralidade carbónica’.

A plantação de árvores é uma das medidas mais populares para compensar os malefícios das provas automobilísticas, mas a Fórmula 1 pretende alcançar o objetivo através da redução das emissões e do desenvolvimento de tecnologia mais amiga do ambiente.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.