A equipa Mercedes de Fórmula 1 vai iniciar o campeonato com uma nova decoração negra em protesto contra o racismo, anunciou hoje a escuderia germânica.

A cor tradicional que vem sendo usada desde 1954 nos carros da atual campeã de construtores é o prateado, mas em 2020 correrá de preto durante toda a temporada.

Além disso, surge escrito no halo (elemento de proteção da cabeça do piloto) a expressão "End Racism" (fim ao racismo).

Também os pilotos da equipa, o finlandês Valtteri Bottas e o britânico Lewis Hamilton, o único piloto negro em toda a história da Fórmula 1, estarão equipados com fatos negros e novas decorações nos capacetes.

"O racismo e a discriminação não devem ter lugar na nossa sociedade, no nosso desporto ou na nossa equipa. Este é um ponto de honra da Mercedes. Mas ter os comportamentos adequados não é o suficiente se nos mantivermos em silêncio", explicou o diretor desportivo da equipa, Toto Wolff.

Já Lewis Hamilton, seis vezes campeão mundial, considera que é "importante aproveitar o momento".

"Devemos educarmo-nos, quer sejamos um indivíduo, uma marca ou uma empresa para tornar reais as mudanças de forma a assegurar a igualdade", precisou.

Hamilton confessa que já viveu episódios de racismo e viu "muitos amigos e familiares" a passar por isso. "Falo do coração quando apelo a uma mudança", frisou.

O piloto britânico explicou que o objetivo passa por "construir um legado que vá para além do desporto".

A Mercedes é a segunda equipa a mudar o esquema gráfico antes do arranque do campeonato depois de a Williams ter anunciado novas cores na passada sexta-feira devido à saída do principal patrocinador.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.