O britânico Lewis Hamilton (Mercedes) assegurou hoje o seu sexto título de campeão do mundo de Fórmula 1, ao terminar em segundo no Grande Prémio das Américas, apesar de ter arriscado uma só paragem para trocar de pneus.

Hamilton viu-se ultrapassado pelo companheiro de equipa, o finlandês Valtteri Bottas, a cinco voltas do final da prova realizada em Austin, no Texas, que terminou as 56 voltas previstas em 1:33.55,653 horas.

O segundo lugar, a 4,148 segundos de Bottas, bastou ao piloto britânico para festejar o título, terceiro consecutivo e quinto com a Mercedes, ficando a apenas um do recorde do alemão Michael Schumacher, precisamente o piloto que Hamilton foi substituir na equipa germânica.

O holandês Max Verstappen (Red Bull) fechou os lugares do pódio a 5,002 segundos de Bottas, apesar de um ataque final ao segundo lugar que acabou abortado devido a uma situação de bandeiras amarelas devido à desistência do sueco Kevin Magnussen (Haas) com uma falha de travões.

A corrida foi um desastre também para a Ferrari, que viu o alemão Sebastian Vettel desistir logo à oitava volta com a suspensão traseira direita partida, depois de uma primeira volta difícil em que se viu ultrapassado por vários adversários, queixando-se de problemas de direção.

O segundo piloto da equipa italiana, o monegasco Charles Leclerc, viu a possibilidade de lutar pelo pódio esfumar-se com a primeira paragem nas boxes ao perder seis segundos com uma pistola defeituosa de um dos mecânicos responsáveis por apertar as rodas do seu monolugar.

Leclerc terminou a 52,239 segundos do vencedor, mas ainda fez a volta mais rápida da corrida, somando um ponto extra.

Bottas, que saiu do primeiro lugar da grelha de partida, parou por duas vezes nas boxes em resposta às paragens de Verstappen, primeiro para montar pneus duros à 15.ª volta e, depois, para montar médios na volta 36.

Pelo meio, Hamilton parou apenas uma vez e tentou levar os pneus duros até final, mas viu-se ultrapassado pelo companheiro de equipa quando as borrachas já tinham perdido eficácia.

A vitória, a quarta da temporada para Bottas depois dos triunfos na Austrália, Azerbaijão e Japão, garantiu, matematicamente, o segundo lugar do campeonato ao finlandês, que tem 314 pontos, contra os 381 de Hamilton, que garantiu o 16.º pódio da temporada.

"É arrebatador. Foi uma corrida muito dura. Não pensei que fosse possível só com uma paragem mas tentei. O meu pai disse-me, aos seis ou sete anos, para nunca desistir. É uma espécie de lema de família. Queria vencer mas não tive pneus", resumiu Hamilton que, aos 34 anos, se sente "fresco" para continuar a somar triunfos.

Quanto a Bottas, estava "feliz", mas a sentir que falhou "o objetivo da temporada".

"No próximo ano estou cá para tentar outra vez", prometeu.

Leclerc manteve o terceiro lugar no campeonato, com 249, seguido de Verstappen, com 235 e de Vettel, que caiu para quinto com 230.

A Mercedes juntou ainda o título de construtores ao de pilotos, ao somar 695 pontos, contra os 479 da Ferrari.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.