A participação da seleção feminina da Coreia do Sul no Mundial de Polo Aquático, que o país está a organizar, está a ser um desastre aos olhos de um amante da modalidade. Mas não para as sul-coreanas. Esta quarta-feira perderam por 30-1 frente a Rússia mas, no final, festejaram como se tivessem sido campeãs do Mundo. A explicação: o golo marcado, histórico para o desporto sul-coreano.

Com o golo apontado quando a Rússia vencia por 27-0, houve uma explosão de alegria nas bancadas, com muitos apoiantes a dançarem ao som da música 'Gangnam Style', do artista local Psy. Dentro e fora da piscina, as atletas festejaram de forma efusiva, com algumas a não conterem as lágrimas.

No jogo anterior, as sul-coreanas tinham perdido por 64-0 frente a Hungria, um resultado pouco usual em campeonatos desta natureza. Em dois jogos, sofreram 94 golos mas marcaram um, que teve o significado de 100 para as raparigas sul-coreanas.

Uma equipa formada num mês por...  ex-nadadoras

É que a equipa apenas foi formada há um mês, com a chamada de algumas ex-nadadoras. Sem qualquer experiência no polo aquático, as pobres raparigas têm sido massacradas pelas adversárias, tantas são as fragilidades técnicas e táticas. Daí a festa e as lágrimas pelo primeiro golo de sempre marcado pela seleção numa competição.

Mundial Polo Aquático: Coreia do Sul-Polónia
Mundial Polo Aquático: Coreia do Sul-Polónia créditos: AFP

A heroína foi Kyung Da-seul, de 18 anos. No final, ela só queria a bola do golo para guardar como recordação.

"Gostaria muito de ter a bola de jogo mas não sei onde está. Ficaria eternamente agradecida se alguém a encontrasse", começou por dizer à imprensa.

No final, Kyung não ficou com a bola do jogo mas levou para casa algo para recordar: ser a autora do primeiro golo da seleção feminina de polo aquático numa competição. E como foi o golo?

"Quando rematei, não pensei que a bola fosse entrar. Mas dei tudo o que tinha. Mas não teria marcado sem a ajuda das minhas colegas", explicou.

"O nosso treinador disse-nos que estamos aqui para mostrar às pessoas que estamos prontas para lutar. Também disse que crescemos muito em relação ao último jogo. Daí as lágrimas de alegria no final", terminou Kyung Da-seul, em declarações à AFP.

Ryan Hanna Yoon, outra das jogadoras da equipa, já pensa no próximo jogo com o Canadá, a contar para o Grupo B do Mundial de Polo Aquático, que a Coreia do Sul está a organizar: o objetivo passa por melhorar a cada jogo.

"Foi muito emocionante ter marcado porque já passamos por muito. O golo significa tudo para nós. Somos apenas amadoras no polo aquático. [Para o próximo jogo] queremos marcar mais e sofrer menos", desejou.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.