O ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, está satisfeito pelos resultados das Unidades de Apoio ao Alto Rendimento na Escola (UAARE) e acredita que, além do sucesso académico, os alunos/atletas têm agora melhores condições para singrar no desporto.

As Unidades de Apoio ao Alto Rendimento na Escola (UAARE) estão já presentes em 16 escolas espalhadas pelo país, e o ministro relata que se trata de uma nova ferramenta que o Ministério da Educação e a Secretaria de Estado da Juventude e do Desporto (SEJD) quiseram proporcionar a todos os alunos que são também atletas.

“Sabemos o quão difícil são as necessidades, muitas vezes conflituantes, entre o que é o sistema educativo, muito desafiador e cheio de vicissitudes, e o sistema de alta competição. O que quisemos foi que existisse conciliação”, sublinha o governante.

Em entrevista à agência Lusa, Tiago Brandão Rodrigues revela que o projeto visa não só o alto rendimento desportivo, mas também o alto rendimento escolar.

“Verificámos que havia abandono escolar e um baixo sucesso escolar destes alunos. No entanto, sabemos que atletas de alta competição, quando bem acompanhados, são, potencialmente, muito bons estudantes”, afirma o titular da pasta da Educação.

Tiago Brandão Rodrigues destaca os três anos de desenvolvimento do projeto, que hoje conta já com salas de estudo especializadas, professores-mentores, trabalho de grupo, ensino à distância, tudo para que “os alunos possam continuar a fazer desporto de alta competição, mas com uma atenção especial ao seu estudo”.

O ministro classifica as UAARE como uma “aposta positiva e vencedora”, realçando que a taxa de sucesso escolar está acima dos 90%, mesmo apesar de todas as dificuldades características destes casos.

“São estudantes que passam grandes temporadas fora do país e era importante fazer o seu acompanhamento. Sabemos também que são casos, muitas vezes, de grande pressão familiar para que deixem o desporto de alta competição. O que esta ferramenta nos permite é que esta conciliação possa existir e haver um casamento entre o alto rendimento desportivo e o percurso escolar destes atletas”, reforça o ministro, que admite que se trata de um desafio também para as próprias escolas e para toda a comunidade educativa.

No futuro, não muito longínquo, Tiago Brandão Rodrigues acredita que muitos dos atletas a representar as seleções nacionais serão um produto das UAARE.

“Este é um trabalho de longo prazo, um esforço ‘maratoniano’, um trabalho de adaptação, mas acredito que daqui a uns anos vamos ver já ver muitos ex-alunos das UAARE em Jogos Olímpicos e Jogos Paralímpicos”, conclui.

As UAARE são um projeto pedagógico que visa uma articulação eficaz entre a escola, os encarregados de educação, as federações desportivas e seus agentes e os municípios, tendo por objetivo conciliar, com sucesso, a atividade escolar com a prática desportiva de alunos/atletas enquadrados no regime de alto rendimento ou seleções nacionais.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.