A presidente do Comité Organizador da 1.ª edição dos Jogos Africanos de Praia, Filomena Fortes, admitiu esta sexta-feira que as condições oferecidas às caravanas dos cerca de 40 países, no Sal, são “melhores” das dos próprios Jogos Olímpicos.

“Demos as melhores condições às selecções, que nem em Jogos Olímpicos, pois já estive em dois, e não têm essas condições que nós oferecemos agora, hotel cinco estrelas 'all inclusive' e este parque de jogos maravilhoso, nunca dantes visto”, concretizou Fortes.

Por isso, mal começaram as competições, na manhã de sexta-feira, Filomena Fortes já era uma mulher que deixava transparecer o sentimento de “dever cumprido” e, à Inforpress, revelou tratar-se de um sonho de todos que está a tornar realidade.

“Hoje a brincar disse que não acredito em milagres, mas se isso está a acontecer hoje é porque houve um milagre, com os recursos humanos que tínhamos para pôr tudo isso de pé”, lançou a também a presidente do Comité Olímpico Cabo-verdiano, que já identificou “os verdadeiros heróis” dos jogos.

“São todos aqueles que construíram este parque de jogos na praia de Santa Maria, uma equipa que fez com que o nosso sonho se tornasse realidade ao milímetro”, precisou, pois, indicou, tudo aquilo que foi pedido eles puseram à disposição.

Apesar de satisfeita deste ponto de vista, Filomena Fortes continua a lamentar alguns constrangimentos, com os transportes à cabeça, mas confirmou que estão na ilha do Sal cerca de 40 países africanos a competir.

“Queríamos os 54, mas não foi possível por diversas razões, sobretudo a questão dos transportes, só tínhamos ligação Dacar – Lisboa ou Dacar-Luanda directamente para o Sal e isso causou-nos grandes constrangimentos”, concretizou.

Aliás, esta quinta-feira, a organização, segundo a responsável, viu-se obrigada a solicitar à Binter um voo charter devido a quantidade de atletas, cerca de 70, que se encontravam na ilha de Santiago, para puderem estar a tempo no Sal.

“Mas conseguimos, estou satisfeita e todo o mundo que cá está também, pelos relatos que me chegam”, concluiu Filomena Fortes.

A cerimónia oficial de abertura da 1.ª edição dos Jogos Africanos de Praia ocorre às 18:30, na praia de Santa Maria, em acto presidido pelo Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, e que será marcado ainda por um momento cultural, sob a responsabilidade do conhecido coreografo, Mano Preto.

Sob a égide da Associação de Comité Olímpicos Nacionais Africanos (ACNOA), os Jogos Africanos de Praia Sal 2019 contemplam 11 modalidades ligadas ao mar, nomeadamente atletismo, basquetebol 3×3, andebol de praia, ténis de praia, futebol de praia, remo no mar, futebol Freestyle, karaté kata, kitesurf, e natação em águas abertas.

Estima-se que estarão no país cerca de duas mil pessoas ligadas aos jogos, que principiam esta sexta-feira, entre atletas, dirigentes e respectivas comitivas, bem como jornalistas de vários países.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.