O presidente do Sporting, Frederico Varandas, escreveu esta quarta-feira uma carta aberta à Federação Portuguesa de Patinagem, divulgada no site do clube de Alvalade.

Dirigindo-se diretamente a Luís Sénica, presidente do organismo, o dirigente leonino aborda a "incompreensível Ausência de Condenação Pública das Agressões no Jogo FCP vs SCP".

"Passaram 11 dias desde os vergonhosos acontecimentos do Dragão Caixa no jogo do Campeonato Nacional de Hóquei em Patins entre o FC Porto e o Sporting CP que culminaram nas cobardes e bárbaras tentativas e agressões ao Director Geral das Modalidades do Sporting CP e a sua esposa, também colaboradora do Sporting CP", começa por lembrar Varandas.

"E passaram 10 dias sem uma reacção, condenação e intervenção pública de V.Exa. e da Federação que representa", lamenta o presidente do Sporting.

"Para o Sporting Clube de Portugal, uma instituição centenária com milhares de associados e milhões de adeptos, que têm aportado muito às modalidades e ao Hóquei em Patins em particular, é absolutamente incompreensível que os acontecimentos que visualizou e que certamente o chocaram não tenham merecido da Federação presidida por V.Exa. o mais firme repúdio", acrescenta.

Frederico Varandas relembra ainda que "este não é um problema do Sporting Clube de Portugal, mas sim um problema do Desporto Nacional. As tomadas de posição públicas sobre os lamentáveis acontecimentos do Dragão Caixa são essenciais para a prevenção da violência e, por isso, são essenciais a todos os Desportos e, em particular, à modalidade."

Por fim, o presidente dos 'leões' pede a Luís Sénica e à Federação Portuguesa de Patinagem para "acabar de vez com o problema da violência no Desporto Nacional", afirmou que para tal "é preciso coragem".

Recorde-se que no passado dia 16 de março, o FC Porto recebeu o Sporting no pavilhão Dragão Caixa para a 20.ª jornada do nacional de hóquei em patins. Nesse encontro, o diretor-geral das modalidades do Sporting, Miguel Albuquerque, queixou-se de ter sido agredido "por uma pessoa com a camisola do FC Porto" no fim da primeira parte do jogo entre as duas equipas, tendo responsabilizado o diretor do andebol dos ‘dragões', José Magalhães, e o administrador da SAD portista, Adelino Caldeira, apelidando-os de "os verdadeiros culpados das agressões".

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.