A equipa de futsal do Desportivo Jorge Antunes não vai poder contar com Sara Moura na final four da Taça da Associação de Futebol de Braga. A atleta de 31 anos interrompeu a época desportiva em curso para rumar a Moçambique, para ajudar as vítimas do furacão Idai, que já causou quase 500 mortos e milhares de desalojados.

Sara, que é terapeuta ocupacional de profissão, já está na antiga colónia portuguesa onde chegou na segunda-feira, na Missão Imbondeiro, da organização não governamental (ONG) Médicos do Mundo, no Porto, com quem colabora há oito anos. A jogadora de futsal integra uma equipa de cerca de 15 membros da Médicos do Mundo, entre médicos, enfermeiros, uma psicóloga e uma farmacêutica.

A atleta de 31 anos deixa a equipa numa fase decisiva da época. No próximo fim de semana, a equipa Feminina do Desportivo vai disputar a Final Four da Taça AF Braga, em Fafe. "Sara deixa a equipa numa fase crucial, mas claramente que neste momento a sua decisão, que nos deixa a todos muito orgulhosos, é abraçar esta missão e ser útil a quem perdeu tudo", escreveu o clube.

Organização Médicos pelo Mundo, do Porto
Organização Médicos pelo Mundo, do Porto

A Organização Não Governamental Médico do Mundo, no Porto, atua na prestação de cuidados de saúde às populações vulneráveis e denúncia da violação dos direitos humanos, dentro e fora do país.

A passagem do ciclone Idai em Moçambique, no Zimbabué e no Maláui fez pelo menos 786 mortos e afetou 2,9 milhões de pessoas, segundo dados das agências das Nações Unidas.

Moçambique foi o país mais afetado, registando até ao momento 468 mortos e 1.522 feridos, segundo as autoridades moçambicanas, que dão ainda conta de mais de 135 mil pessoas a viverem atualmente em centros de acolhimento, sobretudo na região da Beira.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.