O polaco Michal Kwiatkowski e o britânico Geraint Thomas são os únicos dois ciclistas entre os 174 inscritos na 46.ª Volta ao Algarve que podem repetir o triunfo na prova portuguesa, que decorre entre hoje e domingo.

Na ausência do vencedor do ano passado, o esloveno Tadej Pogacar, e de um candidato evidente para vestir a amarela no domingo, em Lagoa, o favoritismo recai na INEOS, equipa que venceu três das últimas cinco edições, precisamente com Kwiatkowski (2018) e Thomas (2015 e 2016).

Com o galês, vencedor do Tour2018, a garantir que estará na ‘Algarvia’ apenas para ajudar os seus colegas, caberá ao polaco e ao australiano Rohan Dennis defenderem a ‘honra’ e o historial da formação britânica e lutar pela vitória na geral.

Desde 2006 que a prova mais internacional do calendário luso não tem um vencedor nacional e, 14 anos depois, não há um português ao pódio, sendo o regressado Rui Costa (UAE Emirates), que não competia no Algarve desde que foi terceiro em 2014, aquele que maiores esperanças pode alimentar.

Os primeiros indícios do estado de forma dos candidatos poderão ser vistos na ligação de 195,6 quilómetros entre Portimão e Lagos, que será antecedida da apresentação oficial dos participantes na 46.ª edição.

Na primeira etapa, vão alinhar 174 ciclistas, divididos por 25 equipas, 12 das quais no WorldTour, o primeiro escalão do ciclismo mundial.

Depois da partida simbólica, marcada para as 12:00, o pelotão vai passar por uma contagem de montanha de terceira categoria, ao quilómetro 62,7, seguindo-se uma meta volante em Loulé, aos 74,1, quatro quilómetros antes de uma contagem de quarta categoria.

Antes da chegada, prevista para as 17:03 na Avenida dos Descobrimentos, em Lagos, os corredores disputam ainda outras duas metas volantes (aos 114,1 e 163,9 quilómetros).

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.