O ciclismo português volta hoje à atividade competitiva, após meses de paragem devido à pandemia de COVID-19, com um contrarrelógio individual em Sangalhos, Anadia, que junta equipas nacionais a alguns dos melhores atletas lusos do pelotão internacional.

Com 22 quilómetros, a Prova de Reabertura serve, ao mesmo tempo, como regresso à competição e como prova pontuável para a Taça de Portugal, reunindo cerca de 100 corredores de equipas portuguesas de elite e sub-23 e alguns nomes internacionais.

O pelotão nacional não compete desde março, regressando às corridas quase quatro meses depois, com a época ‘virada do avesso' e encurtada devido à pandemia de COVID-19, procurando começar a ganhar ritmo para o resto do ano.

O último a sair para a estrada, pelas 16:32, é também um dos mais conceituados: Rui Costa (UAE Emirates), campeão mundial em 2013, num lote de favoritos que inclui o espanhol Alejandro Marque (Atum General/Tavira/Maria Nova Hotel), Tiago Machado e Sérgio Paulinho, da Efapel, Gustavo Veloso (W52-FC Porto), Rafael Reis (Feirense) ou João Matias (Aviludo-Louletano).

O regresso à estrada acontece num momento de incerteza sobre a realização da Volta a Portugal, principal momento da temporada velocipédica nacional, que foi adiada sem nova data definida, com a organização a querer realizá-la ainda em 2020.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.