O francês Nans Peters (AG2R La Mondiale) conseguiu hoje a primeira vitória da carreira profissional, ao chegar sozinho à meta da 17.ª etapa da Volta a Itália em bicicleta, após integrar a fuga do dia.

Peters, de 25 anos, cumpriu os 181 quilómetros entre Commezzadura e Anterselva em 4:41.34 horas, batendo outros elementos da fuga por mais de um minuto, com o colombiano Esteban Chaves (Mitchelton-Scott), segundo classificado, e o italiano Davide Formolo (BORA-hansgrohe), terceiro.

O francês nunca tinha vencido uma corrida no calendário profissional, mas está este ano a ter um Giro em bom plano, tendo já liderado por três dias a classificação da juventude.

Na sexta etapa foi oitavo na tirada e subiu ao terceiro posto da geral e, desde então, tem ‘animado’ a corrida em fugas, conseguindo hoje dar a primeira vitória nesta edição à AG2R.

“Na primeira subida, quando ataquei, já ia com grandes nomes, e depois juntaram-se mais. Tentei não me cansar, tinha de me manter fresco para o fim. (...) Depois, segui alguns ataques, antes de eu próprio atacar, ficaram a olhar-se e consegui gerir o esforço”, explicou.

Natural de Grenoble, próximo da base da AG2R, Peters sempre correu pela equipa, em que começou como estagiário, em 2016, já depois de passar pela equipa de desenvolvimento, conseguindo hoje o primeiro grande momento da carreira.

Peters integrou a fuga do dia, em que também seguia o português Amaro Antunes (CCC), numa lista de mais de 10 elementos, num percurso ondulante, mas que não apresentava grandes subidas, depois de o Mortirolo ter testado o pelotão na terça-feira.

Dentro dos últimos 15 quilómetros, atacou uma fuga que já não cooperava, depois de ter seguido fragmentada durante vários períodos, e não olhou para trás, vencendo com facilidade e autoridade, com 1.34 minutos de vantagem sobre Chaves e 1.51 sobre um grupo de corredores, com Formolo a ocupar o último posto do pódio.

Amaro Antunes acabou o dia em 14.º lugar, a 3.05 do vencedor, e ‘escalou’ cinco postos na geral individual, para o 58.º lugar.

Atrás, na luta pela geral, foi o espanhol Mikel Landa (Movistar) a aquecer os quilómetros finais, com um ataque que fez o atual quarto classificado ganhar tempo a toda a gente, logo seguido do camisola rosa, o equatoriano Richard Carapaz, da mesma equipa.

O líder da ‘corsa rosa’ ganhou sete segundos a todos os principais rivais, que não puderam acompanhar, e tem agora 1.54 minutos de vantagem para o italiano Vincenzo Nibali (Bahrain Merida), segundo, e 2.16 para o terceiro, o esloveno Primoz Roglic (Jumbo-Visma).

A quatro etapas do final, o colombiano Miguel Ángel López (Astana) subiu a sexto, por troca com o polaco Rafal Majka (BORA-hansgrohe), agora sétimo, enquanto Formolo entrou para o último lugar do ‘top 10’, do qual sai o esloveno Jan Polanc (UAE Emirates).

Na quinta-feira, a 18.ª etapa liga Valdaora/Olang a Santa Maria di Sala, ao longo de 222 quilómetros, num dia que termina com um traçado plano e poderá favorecer os ‘sprinters’ ainda em prova.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.