A 11.ª etapa do Giro, hoje corrida entre Carpi e Novi Ligure, confirmou em pleno as expetativas para uma tirada plana e longa e terminou com um sprint compacto, com vantagem para o ciclista australiano da Lotto-Soudal Caleb Ewan.

A grande maioria dos ciclistas, quase 120, entrou no pelotão e não houve alterações entre os primeiros, no final destes 221 quilómetros, com o italiano Valerio Conti (UAE-Emirates) a segurar a camisola rosa por mais um dia.

Ewan, vencedor em 5:17.26 horas, repetiu a vitória da oitava etapa desta Volta a Itália e superou outros especialistas do sprint, como são o francês Arnaud Démare (Groupama), que vencera na véspera, e o alemão Pascal Ackermann (Trek), já primeiro em duas chegadas, mas que perdeu hoje a classificação por pontos para o gaulês.

As equipas dos melhores sprinters controlaram a corrida e anularam com eficácia todas as tentativas de fuga, normais numa etapa tão longa.

No que foi a última etapa da fase calma do Giro - quinta-feira já há montanha -, o português Amaro Antunes, da CCC, terminou em 45.º e manteve o seu lugar no top-10 da corrida. Continua em sétimo, a 3.05 de Conti.

O principal candidato à vitória, o esloveno Primoz Roglig (Jumbo-Visma), é o segundo da geral, a 1.50, e o francês Nans Peters (AG2R La Mondiale) terceiro, a 2.21

Na quinta-feira, os ciclistas cumprem uma tirada de 158 quilómetros entre Cuneo e Pinerolo, na qual se destaca uma contagem de primeira categoria, ao quilómetro 126.

Ainda não será uma etapa 'demolidora' - essas começam na sexta-feira, com a primeira chegada em subida, e prolongam-se no fim de semana.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.