O ciclista norueguês Edvald Boasson Hagen (Dimension Data) venceu hoje ao ‘sprint’ a primeira etapa do Critério do Dauphiné, superando os belgas Philippe Gilbert (Deceuninck-Quick Step) e Wout van Aert (Team Jumbo-Visma).

Boasson, que integrava um primeiro pelotão, superou Gilbert e van Aert, numa etapa que ligou Aurillac a Jussac, na distância de 142 quilómetros e que o norueguês cumpriu em 3:24.33 horas.

A etapa ficou marcada por uma fuga formada praticamente desde o seu início, que integrava seis corredores, sendo que, destes, dois isolaram-se a 20 quilómetros do fim, o belga Oliver Naesen (AG2R La Mondiale) e o dinamarquês Magnus Cort (Astana Pro Team), aos quais se juntou o belga Bjorg Lambrecht (Lotto Soudal).

A vitória escapou ao trio a cerca de 600 metros da meta, altura em que o pelotão os absorveu, tendo a equipa Deceuninck-Quick Step começado a trabalhar para dar o triunfo a Gilbert, mas Hagen, que vinha sem qualquer companheiro, surpreendeu e acabou por vencer a etapa.

Na geral, e mercê das bonificações, o norueguês lidera com quatro segundos de vantagem para Gilbert e seis para van Aert.

Os três portugueses presentes na prova cortaram a meta com mais de três minutos de atraso, tendo Rúben Guerreiro (Katusha-Alpecin) sido 73.º, Nélson Oliveira (Movistar Team) 88.º e José Gonçalves (Katusha-Alpecin) 89.º, todos a 3.50 minutos do vencedor.

A segunda etapa disputa-se na segunda-feira, uma tirada de 180 quilómetros que vai ligar Mauriac a Craponne-sur-Arzon.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.