Ainda a adaptar-se à novíssima Israel Start-Up Nation, o ciclista irlandês Daniel Martin rejeita assumir-se como favorito ao triunfo na 46.ª Volta ao Algarve, mas revela que gostaria de voltar a vencer na prova que hoje arrancou em Portimão.

Três anos depois de conquistar o alto da Fóia e de terminar em sexto na geral individual, o regular irlandês está na ‘Algarvia’ sem pretensões ao pódio, mas com uma vitória numa etapa em mente.

“Não sei, com o contrarrelógio será difícil. Estou a correr com equipamento novo, ainda não estou completamente adaptado à bicicleta”, dispara ao ser questionado pela agência Lusa sobre uma eventual inclusão no lote de candidatos à sucessão do esloveno Tadej Pogacar no palmarés de vencedores da mais internacional das provas nacionais.

Daniel Martin, mais conhecido no pelotão por Dan, quer aproveitar a 46.ª edição da Volta ao Algarve, que hoje arrancou em Portimão, para “acumular quilómetros nas pernas” e ganhar ritmo competitivo, após ter sido quarto na geral da Volta à Comunidade Valenciana na sua estreia com as cores da Israel Start-Up Nation, há pouco mais de uma semana.

“No entanto, obviamente que gostaria de ganhar novamente uma etapa. Foi realmente bonito quando ganhei aqui a última vez, mas este ano a corrida tem tipos muito bons. Veremos”, concede o ciclista de 33 anos.

Confessando sentir-se “muito bem” na sua nova equipa – nas últimas duas épocas, representou a UAE Emirates, do português Rui Costa -, o três vezes ‘top 10’ da Volta a França (foi nono em 2016, sexto em 2017 e oitavo em 2018) prefere não traçar objetivos para 2020, nem antecipar o momento especial da época, os Jogos Olímpicos Tóquio2020.

“Ainda não estou a pensar nisso. Falta muito calendário até lá. Só quero alcançar um bom nível, e correr bem todas as provas. Os Olímpicos são ‘matreiros’. Não corremos pela nossa equipa, o pelotão é mais reduzido, com equipas mais pequenas. É uma corrida muito diferente”, avalia.

Os Olímpicos serão “certamente um destaque” da época, na opinião do vencedor da Liège-Bastogne-Liège de 2013, mas “antes ainda há o Tour”.

“Será, novamente, uma temporada cheia”, conclui, apressado.

A 46.ª Volta ao Algarve começou esta quarta-feira em Portimão, com a primeira etapa a ligar aquela cidade a Lagos, no total de 195,6 quilómetros.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.