As dificuldades trazidas pela pandemia de covid-19 levaram a equipa polaca de ciclismo CCC a anunciar hoje cortes salariais "significativos" para os ciclistas e a "suspensão da maioria dos contratos" da equipa técnica e de apoio.

Em comunicado, a formação liderada pelo campeão olímpico nos Jogos do Rio2016, o belga Greg Van Avermaet, e o italiano Matteo Trentin, vice-campeão mundial, explica que as dificuldades financeiras do patrocinador, a empresa de sapatos polaca CCC, levaram à adoção destas medidas.

Esta equipa, que abrange 28 corredores, junta-se à belga Lotto-Soudal e à cazaque Astana entre as equipas do pelotão WorldTour a terem já anunciados cortes salariais durante o período de inatividade.

"Para termos orçamento para correr, quando, e se, a temporada recomeçar, teremos de suspender tudo temporariamente, excetuando um punhado de elementos do 'staff', e reduzir grandemente os salários. Quando pudermos voltar a correr, esperamos retomar todos os contratos e reavaliar o orçamento", pode ler-se na nota da CCC.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia de covid-19, já infetou mais de um milhão de pessoas em todo o mundo, das quais morreram perto de 54 mil. Dos casos de infeção, cerca de 200.000 são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde a declarar uma situação de pandemia, e o continente europeu é neste momento o mais atingido, com cerca de 560 mil infetados e perto de 39 mil mortos.

Em Portugal, que está em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 17 de abril, registaram-se 246 mortes e 9.886 casos de infeções confirmadas, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.