O antigo ciclista francês Bernard Hinault considerou “muito difícil” que a Volta a França em bicicleta se realize em julho, devido à pandemia da covid-19, em entrevista divulgada hoje pela agência espanhola Efe.

“Neste momento, acho muito difícil, creio que a doença teria que desaparecer por completo em todo o mundo para que [o Tour] se pudesse realizar”, afirma Hinault, de 65 anos, que se encontra em confinamento na sua propriedade, na Bretanha.

Vencedor por cinco vezes do Tour, entre 1978 e 1985, Hinault refere que “nunca ninguém imaginou que algo tão sério pudesse afetar o mundo inteiro”, mas que a “vida é muito mais importante do que uma corrida de bicicleta”.

O ex-ciclista acredita que, se o Tour puder ser realizado dentro do prazo, entre 27 de junho e 19 de julho – a decisão será tomada em maio – “este seria um grande sinal de esperança”, pois “significaria que a doença desapareceu”.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de um milhão de pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 51 mil. Dos casos de infeção, cerca de 190.000 são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde a declarar uma situação de pandemia, e o continente europeu é neste momento o mais atingido, acima de 525 mil infetados e de 37 mil mortos.

Em Portugal, que está em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 17 de abril, registaram-se 209 mortes e 9.034 casos de infeções confirmadas, segundo o balanço feito na quinta-feira pela Direção-Geral da Saúde.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.