O selecionador nacional António “Zola” Moreira, espera contar já com 10 das 12 convocadas para poder levar avante o seu plano de preparação que passa por treinos bi-diários, para poder cimentar a sua estratégia para os confrontos de 17 e 19 do corrente na capital cabo-verdiana.

É que para qualificar-se para o afrobasket’19, enquanto um dos três representantes da Zona II, juntamente com os já apurados Senegal e Mali, a selecção cabo-verdiana terá que deixar pelo caminho as guineenses, que chegam à Cidade da Praia no meio desta semana.

Zola disse que apesar de Cabo Verde jogar em casa, não dá “muita importância à questão do favoritismo”, mas admitiu a importância de contar com um “pavilhão cheio” e a torcer pela equipa nacional.

Sublinhou que tem estudado a forma de trabalhar da equipa nacional da Guiné Conacri o quanto basta, para que Cabo Verde possa levar avante os seus intentos, argumentando que apesar da convocatória ser divulgada só no final de semana, a equipa técnica já estava há muito a fazer o seu trabalho de casa em concertação com a Federação Cabo-verdiana de Basquetebol.

Do lote das 12 convocadas, consta sete atletas residentes nos Estados Unidos da América, três que evoluem em Portugal e duas residentes.

A fase final do Afrobasket realiza-se em finais de Agosto, num país ainda a ser determinado pela FIBA África.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.