Para além da manutenção dos apoios já existentes e que superam os 511 mil euros, as novas medidas - apoios em taxas de inscrição, taxas de participação e material desportivo e formação - significam um acréscimo de 225 mil euros, o que perfaz um total que ultrapassa os 736 mil euros.

“Valeu a pena termos sido prudentes e cautelosos na gestão dos últimos anos, que possibilitou garantir as reservas suficientes para que, mesmo atualmente sem os recursos provenientes das apostas, possamos cumprir todos os compromissos financeiros assumidos”, refere em comunicado o presidente da FPB, Manuel Fernandes.

O dirigente refere que esta situação permitiu que “num momento tão transcendente como este”, a federação e as associações possam estar em condições de “promover um apoio adicional tão significativo aos clubes, de modo a minimizar as dificuldades económicas com que já estão a ser e irão ser confrontados”.

Com este conjunto de medidas, a FPB acredita “contribuir para a sobrevivência e continuidade da prática federada do basquetebol em todos os recantos do país”.

“O conhecimento atempado destes incentivos possibilita aos clubes desencadear, de uma forma mais rigorosa, o processo de planeamento financeiro e desportivo da época 2020/21, adequado à dimensão e ao nível competitivo da sua atividade”, refere a nota da FPB.

Manuel Fernandes considera que o desporto deve muito àqueles que no anonimato lutam todos os dias para garantir a sobrevivência e a continuidade dos seus clubes” e “são inteiramente merecedores do reconhecimento das federações, das autarquias e do governo”.

“Estas instituições não podem deixar de apoiar e de proteger o desporto, perante o enorme impacto causado pela covid-19, não só pelo papel social e pelo contributo significativo na melhoria da saúde e bem-estar de largas faixas da população portuguesa, mas também pelo valor económico”, refere.

Manuel Fernandes sublinha que a FPB está "a intervir no aqui e agora, mas também a pensar e agir com o olhar no futuro próximo e num prazo mais alargado” e antecipa, de resto, novas medidas.

"Uma outra ação de apoio aos clubes vai já ao encontro das mudanças que se irão processar no domínio tecnológico, social, comportamental e comunicacional. Para isso já tomámos várias medidas, que, a breve trecho, serão divulgadas e permitirão ao basquetebol sair mais forte desta crise", afirma.

As competições nacionais de basquetebol, andebol, hóquei em patins e voleibol foram canceladas em abril, devido à pandemia de covid-19, deixando sem campeões estas quatro modalidades de pavilhão, que tinham as provas suspensas desde 11 e 12 de março.

De acordo com os últimos números divulgados, em Portugal, morreram 1.455 pessoas das 33.592 confirmadas como infetadas, e há 20.323 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.