A família de Nuno Alpiarça, ex-atleta do Sporting e antigo treinador e atleta-guia do campeão paralímpico Carlos Lopes, vai recorrer aos tribunais por considerar que ocorreram falhas no préstimo de socorro ao atleta por parte do INEM.

A notícia é avançada pela 'Rádio Renascença' que aborda ainda o relato de Inês Cruz, atleta da Juventude Vidigalense, onde Nuno Alpiarça estava a dar treino. A atleta não compreendeu a demora para levarem Nuno Alpiarça para o hospital.

"Apesar de termos feito várias questões para tentar perceber o porquê da demora de levarem logo para o hospital, tendo em conta que, nestas situações, uma reação rápida pode ser essencial, nunca nos disseram nada", disse à rádio.

Nuno Alpiarça ainda estava consciente quando a equipa médica chegou pelas 10h20, mas com o passar do tempo a situação foi piorando e só foi encaminhado para o hospital de Santa Maria, às 12h50,  numa altura em que "já estava inconsciente e que a situação já não era nada favorável", disse Inês Cruz.

O INEM explica a situação explicando à rádio que o relato feito na chamada para o 112 não permitir avaliar corretamente a gravidade da situação, o que fez que com não fosse enviada logo uma viatura médica sem meios de emergência e reanimação.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.