Uma desqualificação e uma queda antes da meta impediram, na noite desta terça-feira, a dupla qualificação de Angola para as meias-finais dos 200 metros femininos do Campeonato do Mundo de atletismo adaptado, que decorre no Dubai.

Na prova da classe T11 (cegueira total), Angola tinha como principal objetivo estar entre as oito melhores do mundo e Emeloide Adelino fez por merecer essa meta, com o tempo de 26 segundos e 96 centésimos, mas foi desqualificada alegadamente por infração do atleta guia (não coordenou o movimento do braço na cadência da atleta).

Emeloide viu assim a segunda posição da primeira série, que dava qualificação, atribuída à namibiana Ishitile Lahja, que, no entanto, levou mais tempo para cortar a meta (26.99), numa prova ganha pela chinesa Liu Cuiqing (26.04).

Já na segunda série, Regina Dumbo foi infeliz ao cair poucos metros antes da meta, quando disputava a segunda posição com Alamur Onznur, da Turquia (2.ª classificada com 27.77 segundos) e Lebog Judith, dos Camarões (3.ª, com 30.01), em prova ganha pela qualificada para a outra fase Geber Santos, do Brasil (26.58).

Já Juliana Moko ocupou a quarta e última posição da terceira série com o tempo de 29.91 segundos. Qualificaram-se três das oito atletas que hoje disputam as meias-finais a partir das 8 horas, nomeadamente, Simplício Silva, do Brasil (25.59), Peres Lopes, da Venezuela (26.68) e Tanomwong Suneei, da Tailândia (27.32).

A quarta série qualificou duas atletas para a próxima etapa - Salvatini Spolad, do Brasil (25.29) e Clegg Libby, da Inglaterra (26.69). Concorreram ainda Samigulina Alina, da Rússia (28.01) e Bel Quintana, da Espanha (desqualificada).

Angola encerrou assim a sua presença no evento que termina esta quinta-feira. Integraram igualmente a seleção nacional os atletas José Chamoleia (classe T11) e Manuel Jaime (deficiente motor).

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.