O diretor da Agência Antidopagem da Rússia (RUSADA) disse hoje que aquele organismo vai precisar de “vários anos” para recuperar a confiança do desporto mundial, depois dos escândalos de doping que atravessou.

“Espero que antes de 30 de junho possamos cumprir todas as condições e sejamos formalmente restituídos [pela Agência Mundial Antidopagem], mas a relação que têm connosco não vai mudar. Para isso, vão ser precisos vários anos”, comentou Yuri Ganus, em conferência de imprensa.

Hoje em dia, há “uma divisão entre os russos e o resto”, pelo que foi importante dar acesso à AMA ao laboratório de Moscovo, o que aconteceu com alguns dias de atraso, para que sejam analisadas as amostras suspeitas ali armazenadas.

A RUSADA tem estado envolvida em vários escândalos ligados com o doping institucionalizado na Rússia, trazido a público em 2015 pelo relatório McLaren, o que levou à suspensão do laboratório, que pode vir a ser reintegrado depois de junho pela AMA.

O facto de vários desportistas russos terem sido privados de competições internacionais, como no atletismo nos Jogos do Rio2016 ou a competir sob bandeira olímpica em PyeongChang2018, trouxe uma pressão “brutal” para Ganus e a sua equipa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.