O presidente da Federação de Andebol de Portugal (FAP), Miguel Laranjeiro, considerou hoje “mais do que merecida” a presença de Portugal no Mundial de 2021, no Egito, após a federação europeia ter cancelado os ‘play-offs” de qualificação.

“Esta indicação de Portugal para o Mundial do próximo ano resulta do excelente desempenho da nossa seleção no Europeu de janeiro último [sexto lugar]. É mais do que merecida e o andebol português está de parabéns”, disse Miguel Laranjeiro, aos canais de comunicação da FAP.

A seleção portuguesa recebeu uma das vagas ainda em aberto para o Mundial de 2021, a disputar no Egito, depois de a Federação Europeia de Andebol (EHF) ter anulado os ‘play-offs’ de apuramento devido à pandemia de covid-19 e tendo como base a classificação no Europeu de 2020.

“O último Mundial em que participámos foi em 2003. Agora, depois do Europeu de 2020, estamos no Mundial de 2021. Parabéns a todos os que tornaram isto possível. Estamos a viver momentos difíceis para todos, mas estas notícias deixam-nos confiantes no futuro da modalidade”, acrescentou Miguel Laranjeiro.

Portugal garantiu a presença no Mundial do próximo ano, no Egito, ao beneficiar do sexto lugar alcançado no Europeu de 2020, e já não terá que disputar os ‘play-offs’ em julho, frente ao vencedor do confronto entre Israel e Letónia.

Com base na classificação final do Europeu de 2020, estão apuradas para a fase final do Mundial de 2021 as seleções da Eslovénia, Alemanha, Portugal, Suécia, Áustria, Hungria, Bielorrússia, Islândia, República Checa e França, que se juntam, no Egito, à campeã Dinamarca, à Espanha, Croácia e Noruega, já qualificadas.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.