O Comité Olímpico e Paralímpico dos Estados Unidos (USOPC), um dos primeiros a defender o adiamento Jogos dos Olímpicos Tóquio2020, considerou que a prorrogação para 2021 foi a decisão certa, perante a rápida propagação da Covid-19.

"Este verão era suposto culminar o trabalho duro e o sonho de uma vida, mas voltar atrás na competição para cuidar das nossas comunidades, e cuidar uns aos outros, é a coisa certa a fazer", escreveu a diretora executiva do USOPC, Sarah Hirschland, numa nota publicada na rede oficial Twitter dos atletas olímpicos e paralímpicos norte-americanos.

Hirschland acrescenta que o “momento dos atletas vai ter de esperar até que se possa encontrar novamente a segurança”.

No sábado, cerca de 70% dos 300 atletas norte-americanos foram consultados pelo Comité Olímpico e mostraram-se favoráveis ao adiamento dos Jogos, depois de as federações norte-americanas de atletismo e natação - as mais representadas na comitiva que estará no Japão - terem manifestado ao USOPC a intenção de adiar.

Apenas 23% considerou que a alteração deveria ficar dependente de eventuais consequências da mesma, segundo os números disponibilizados por uma fonte do Comité de atletas ao USA Today.

Os Jogos Olímpicos Tóquio2020 foram adiados para 2021, devido à pandemia de covid-19, anunciaram hoje o Comité Olímpico Internacional (COI) e o Comité Organizador dos Jogos, em comunicado.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 386 mil pessoas em todo o mundo, das quais cerca de 17.000 morreram.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Vários países adotaram medidas excecionais, incluindo o regime de quarentena e o encerramento de fronteiras.

Em Portugal, há 33 mortos e 2362 infetados confirmados. Portugal encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de quinta-feira e até às 23:59 de 02 de abril.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.