O vice-primeiro-ministro, Olavo Correia, defendeu hoje que “o desporto tem de estar ao serviço desta grande Nação que é Cabo Verde”, ligado ao turismo e cultura, por exemplo, para promover a imagem do país.

Olavo Correia falava à imprensa, à margem do Congresso do Futebol Cabo-verdiano, promovido pela Federação Cabo-verdiana de Futebol (FCF), hoje e terça-feira, na Cidade da Praia.

“O desporto é uma paixão nacional, uma verdadeira paixão nacional (…) é, sem medo de errar, uma expressão cultural de altíssimo nível que une a nação cabo-verdiana, mas que tem de ser transformada num activo económico para o país”, defendeu o também ministro das Finanças.

Segundo afirmou Olavo Correia, Cabo Verde tem talentos e craques, tanto no país, como na Diáspora, que devem ser valorizados e colocados ao serviço da economia mundial do desporto, para que se possa retirar o máximo de proveito destes talentos.

Conforme defendeu o governante, o Estado tem de investir nas infra-estruturas, no quadro legal e criar o melhor ecossistema para que o deporto, neste caso o futebol, possa vincar.

Ainda nas suas declarações, Olavo Correia defendeu a ligação do turismo e cultura ao desporto para que, a partir do desporto, se possa promover a imagem de Cabo Verde como uma nação “unida, ambiciosa, competente e competitiva”.

“O desporto é uma ferramenta essencial para promovermos Cabo Verde à escala do Mundo e temos que estar todos preparados para isso”, frisou.

Não obstante questões clubísticas e regionais, defendeu Olavo Correia, que não pode nunca esquecer em como o maior activo dos cabo-verdianos é Cabo Verde.

“Os líderes desportivos têm obrigação de promover Cabo Verde enquanto Nação e enquanto destino mundial, (…) culturalmente forte para que possamos projectar cada vez mais o nosso país”, desafiou Olavo Correia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.