O conselho diretivo do Instituto do Desporto e da Juventude (IDJ) promete trabalhar na regulamentação orgânica junto com a tutela e com as federações, associações regionais e clubes para decidir os caminhos a trilhar “de agora em diante”.

O presidente do IDJ, Frederic Mbassa, deixou esta promessa à imprensa, logo após a cerimónia da tomada de posse para este novo órgão criado pelo Governo, para melhor gerir e executar a política pública na área do desporto e da juventude em Cabo Verde, por considerar fundamental dotar o país africano de um plano estratégico para o desporto.

Deixou claro, de antemão, que na sua gestão não vai haver modalidades prioritárias, com o argumento de que todas elas são importantes no desporto, ainda que “cada uma com as suas especificidades e valências”, pelo que deixou a garantia que “todas terão atenção do IDJ”, visando uma evolução conjunta e fazer com que o desporto cabo-verdiano, no seu todo, possa alavancar-se e atingir patamares de excelência.

Com a cessação da Direcção-Geral dos Desporto, avançou, há objetivos que são contínuos e que continuarão a ser válidos nesta conjuntura do desporto”, mas afiançou que pretende, com a sua equipa, apostar na formalização do desporto, mediante um levantamento estatístico e real sobre todas as modalidades, monitores e todos os atletas.

Isto é, ter dados estatísticos que possam ajudar a sua equipa a desenvolver políticas públicas directas para a juventude, num trabalho em parceria com as autoridades, pelo que apontou a organização, a estruturação, a previsibilidade e a formalização do desporto, como medidas de imediatos.

Tudo isto para permitir a cooperação e a mobilização de recursos financeiros e uma outra amplitude ao desporto cabo-verdiano.

O conselho directivo do IDJ, recentemente criado pelo Governo, é presidido por Frederic Mbassa e tem como vogais executivos os técnicos Manuel Graciano Barros e Ivanilda Reis, para as áreas do Desporto e da Juventude, respectivamente.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.