A criação de uma sala de isolamento nos estádios, para desportistas ou espetadores, a venda de bilhetes com lugares marcados e o controlo de temperatura da assistência são as principais recomendações do Comité Olímpico Internacional para a retoma competitiva.

Num documento hoje publicado pelo Comité Olímpico Internacional (COI), também é dada primazia a desportos e competições ao ar livre, numa lista de recomendações que surge de uma parceria com a organização Mundial da Saúde (OMS), para a criação de um guia sobre aglomerações no contexto da pandemia de COVID-19.

Entre as recomendações estão igualmente a proibição de partilha de material, de toalhas a garrafas de água, uma distância de pelo menos um metro na assistência, e o isolamento em espaço próprio de qualquer pessoa que apresente sintomas.

A disponibilização de um ‘pack' que inclua máscara, termómetro, lenços descartáveis e desinfetante por parte de organizadores de provas ou clubes é outra das medidas defendidas pelo COI.

No guia da OMS, os desportos de contacto surgem como de alto risco, enquanto o tiro com arco e algumas provas individuais de atletismo são considerados de baixo risco.

O guia foi partilhado com as federações internacionais de cada modalidade, bem como com os comités nacionais de cada país, e o COI espera agora "respostas a ter em conta perante uma situação que continua a evoluir".

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de COVID-19 já provocou mais de 257 mil mortos e infetou quase 3,7 milhões de pessoas em 195 países e territórios.

Mais de um 1,1 milhões de doentes foram considerados curados.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.