O FC Porto qualificou-se para a final da Taça de Portugal de futebol, na qual vai defrontar o Benfica, depois de vencer o Académico de Viseu, por 3-0, na segunda mão das meias-finais.

“Estes jogos, e tive essa experiência como jogador, são mais difíceis de preparar do que os outros. Na Taça, inexplicavelmente os níveis de concentração não estão no máximo. De qualquer das maneiras, os jogadores estiveram bem e foram crescendo ao longo do jogo. A vitória é justa, merecida, cabia-nos a nós assumir a responsabilidade em estar mais uma final, que era algo que a equipa queria muito. A seu tempo falaremos desse jogo, queremos ser mais felizes do que no ano passado”, comentou o treinador do FC Porto à Sport TV, aproveitando para falar sobre as mudanças no onze portista.

“Olhámos apenas para este jogo e pensei que tinha de ter jogadores com as caraterísticas dos que jogaram. Sabíamos que íamos estar muito tempo em ataque continuado e seria preciso procurar espaços onde não havia porque o Académico se apresentou num bloco mais baixo. Nakajima, Corona, Díaz, são jogadores que os descobrem e são fortes no um para um”.

Na final, em 24 de maio, o FC Porto vai defrontar o Benfica, que na terça-feira tinha garantido o apuramento, ao empatar com o Famalicão (1-1), depois de ter vencido em casa por 3-2, na primeira mão.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.