Um Benfica remodelado e em serviços mínimos serviu para levar de vencida (1-0) o Montalegre, equipa oitava classificada da Série A do Campeonato de Portugal. O resultado permitiu às águias seguirem para os quartos-de-final da Taça de Portugal.

Os 'encarnados' iniciaram o encontro com um onze significativamente diferente em relação àquele que entrou em campo no Estádio dos Barreiros para defrontar o Marítimo. Rui Vitória fez descansar nove jogadores: Vlachodimos, André Almeida, Rúben Dias, Grimaldo, Fejsa, Pizzi, Gedson, Cervi e Jonas. Os únicos resistente foram Jardel e Zivkovic.

A primeira equipa a causar algum frison na partida foi precisamente o Montalegre e através de uma bola parada. Paulo Roberto bateu o pontapé de canto para o primeiro poste, onde apareceu Vítor Pereira a saltar mais alto que Jardel, mas o desvio foi para fora.

O Benfica respondeu com um cabeceamento fortíssimo de Seferovic. Yuri Ribeiro cruzou da esquerda para a cabeça do internacional suíço, mas Tiago Guedes estava atento e defendeu o cabeceamento. De seguida, Jardel apareceu livre de marcação na cobrança de um pontapé livre, mas o seu desvio saiu ao lado do alvo.

O jogo estava muito dividido com alguns lances de nota para cada um dos lados, mas foi o Benfica o primeiro a chegar à vantagem aos 31 minutos. Canto batido por Zivkovic na direita e Germán Conti apareceu mais alto e sem oposição a cabecear para o fundo das redes de Tiago Guedes. O defesa-central argentino marcou o seu primeiro golo com a camisola do clube da Luz.

O Montalegre não se foi abaixo com o golo do Benfica e em duas jogadas criou bastante perigo junto da baliza de Svilar, as duas por intermédio de Paulo Roberto. Primeiro aos 37 minutos, com o avançado a aparecer a cabecear entre os centrais a cabecear depois de uma boa jogada coletiva, mas o lance acabaria por ser anulado. Depois, o mesmo jogador apareceu a cabecear ao segundo poste na sequência de um canto, mas a bola embateu em Gabriel e saiu por cima da baliza.

A seguir foi a vez de Jardel falhar o segundo da formação lisboeta. O defesa-central apareceu a cabecear como mandam as regras, de cima para baixo, mas Tiago Guedes com grande intervenção impediu o golo do brasileiro.

Já no segundo tempo, o Benfica entrou muito forte em em dois minutos dispôs de duas oportunidades de golo. Primeiro foi Seferovic que no frente a frente com Tiago Guedes permitiu a defesa do guardião. Depois foi o francês Corchia com um remate de fora da área que embateu no poste da baliza da equipa transmontana.

O Benfica entrou mais perigoso na segunda parte e voltou a criar perigo junto da baliza de Tiago Guedes aos 59 minutos. Zivkovic cruza para o coração da área onde aparece João Félix a desviar, mas o guarda-redes do Montalegre a fazer bem a mancha e a evitar o 2-0. Pouco minutos depois, o guardião dos transmontanos voltou a estar em destaque ao negar por dias vezes o 'bis' de Conti. O Montalegre respondeu com um remate forte e colocado de Tavares do meio da rua. A bola bateu em Jardel e saiu ao lado do alvo. Svilar ficou pregado ao chão.

Até final da partida, registo apenas para um lance de relativo perigo para a baliza do Benfica. Anderson Zangão apareceu bem pela esquerda da área do Benfica, tirou um adversário do caminho e tentou o remate de ângulo difícil, mas a bola acabou por sair pela linha final.

Com este resultado, o Benfica aumentou para seis o número de jogos sem perder. A equipa vence, mas não convence.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.