Resumo

O FC Porto sofreu muito para vencer o Portimonense (3-2) e qualificar-se para os oitavos de final da Taça de Portugal em futebol, jogo que os 'dragões' resolveram só nos descontos, com golos de Aboubakar e Brahimi.

Danilo marcou logo aos cinco minutos, mas o Portimonense deu a volta ao marcador, com golos do brasileiro Wellington (30) e de Pedro Sá (69). O camaronês Aboubakar e o argelino Brahimi fizeram o 2-2 e o 3-2, aos 90+1 e 90+6, respetivamente, permitindo ao FC Porto apurar-se para a fase seguinte.

Um mês e meio depois, Casillas regressou

Um mês depois de ter ido para o banco, na partida fora com o Leipzig, para a 'Champions', Iker Casillas voltou à baliza e pode dizer-se que não foi completamente feliz, pois ficou sensação de que não terá feito tudo o que estava seu alcance para evitar o golo marcado por Wellington.

O filme do jogo

O encontro ia só com cinco minutos quando o FC Porto marcou, por Danilo, após um canto em que a defesa do clube de Portimão foi pouco agressiva e os 'dragões' confirmaram o seu elevado aproveitamento das bolas paradas, que já lhes valeu vários golos esta época.

O Portimonense 'acordou' com o golo e daí para a frente lançou alguns ataques, um dos quais, aos 15 minutos, criou algum perigo para a baliza de Casillas.

Sem forçar muito, contudo, o FC Porto e Danilo estiveram perto do 'bis', depois de mais uma bola parada, e a seguir, aos 24 minutos, Corona também falhou uma ocasião clara de golo.

Com André André e Hernâni em vez de Herrera e Brahimi, respetivamente, o FC Porto parecia ter o jogo controlado e ser capaz de marcar novamente a qualquer momento, mas o Portimonense nunca se intimidou, procurou sempre atacar e empatou mesmo, à meia hora, por Wellington.

O golo nasceu da displicência portista na defesa. Ricardo Pereira perdeu a bola no seu meio-campo, Nakajima rematou e Wellington aproveitou uma sobra e a hesitação de Casillas e empatou.

Na segunda parte, a desinspiração portista manteve-se e o Portimonense continuou confortável com a baixa intensidade do encontro, aproveitando sempre para lançar contra-ataques.

Aos 69 minutos, Pedro Sá rematou fortíssimo e obteve um golo espetacular, colocando a sua equipa na frente.

Portimonense ficou reduzido a dez

O Portimonense 'tombou' quando só já tinha dez jogadores, devido à expulsão do brasileiro Felipe Macedo, aos 78 minutos, por acumulação de cartões amarelos. Até aí, bateu-se de igual com o FC Porto, saindo deste jogo com o 'título' de equipa portuguesa que mais golos marcou aos portistas até ao momento nesta época, dois hoje e dois no jogo para o campeonato.

Depois disso, o FC Porto procurou reagir e beneficiou muito da já referida expulsão de Felipe Macedo, que impediu o Portimonense de atacar como até então e, deste modo, de manter a bola longe da sua baliza.

Final eufórico no Dragão

A reviravolta portista surgiu nos descontos, com o Portimonenses já só em missão defensiva, com Aboubakar e Brahimi a marcarem e levarem o FC Porto para os oitavos de final da Taça de Portugal.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.