Declarações de Rúben Amorim, treinador do SC Braga, na conferência de imprensa, após a conquista da Taça da Liga frente ao FC Porto.

Elogios a Sá Pinto: "Foi um mês muito intenso. Quero relembrar que chegamos à final four com uma equipa técnica que desempenhou um trabalho fenomenal e que essa equipa técnica também faz parte desta conquista [Ricardo Sá Pinto]. Aproveitamos o bom trabalho e vencemos a Taça da Liga."

O que mudou em relação a Sá Pinto? "Foi uma mudança de sistema e de ideia de jogo, que acabou por correr bem com os resultados. Mas foi o mister Sá Pinto que nos trouxe até à final four. Eu tenho a minha ideia de trabalhar, uma forma de entender o jogo diferente, o outro treinador tinha outra... mudou a ideia e o modelo de jogo."

Estratégia para a vitória: "Não há nada estratégico, é tudo mérito dos jogadores. Não deixaram de acreditar até ao final em tudo aquilo que trabalhámos, o resto é o trabalho deles. Eles realmente merecem, foi um mês muito intenso. Vou dar-lhes o dia de amanhã [domingo] e depois segunda-feira vamos treinar e pensar já no próximo jogo. Primeiramente, esperei pela análise do VAR, pois já me habituei, mas depois disseram-me que era limpo e, aí sim, festejei."

Sentimento especial: "É diferente. Tem um sentimento também diferente, porque agora sou um pouco como um pai de todos, apesar de ter jogadores mais velhos. Fico muito feliz por eles, pelas pessoas desta cidade e também pelo presidente que arriscou bastante em acreditar em mim. Não tem medo. Sei que ele está muito feliz pela conquista deste título. Viveu-se uma semana muito intensa nesta cidade. O clube merece isto."

Qual é o seu sonho? "O meu sonho é chegar a segunda-feira e poder trabalhar para ganhar ao Moreirense. Sou muito feliz a trabalhar, gosto mesmo daquilo que faço. Por isso é que deixei de jogar tão cedo. Foi opção minha deixar o Benfica, porque queria ser treinador. Só quero é trabalhar e estar bem com os meus jogadores. E mudar vidas. Em Pina Manique, enquanto treinador do Casa Pia, mudei algumas vidas, toquei-lhes. Podemos ganhar Taças, é importante, mas há coisas mais importantes que ficam. Como treinadores mudamos a vida de alguns, prejudicamos a de outros. O meu sonho é na segunda-feira estar bem de saúde e preparar o próximo jogo da melhor forma."

Numa entrevista há uns anos disse que queria ver se tinha jeito para treinar: "Vou ver se continuo nesta senda de vitórias. Preparo-me para ganhar, mas também me preparo mentalmente para os maus momentos. O clube cresceu muito, o presidente fez um trabalho excecional, mas precisamos muitos dos adeptos, que a cidade tenha uma ligação ainda maior ao clube. Vou ver se tenho jeito para treinar, porque foram só cinco jogos, não me esqueço disso."

Venceu a Taça da Liga como jogador e treinador. Esta tem sabor especial? "Sim, tem. Sendo treinador tem um sabor especial. Por tudo o que passei no ano passado. Por ser uma aposta de risco. Por tudo. Porque foi tudo tão rápido tem um sabor especial. O que passei ajudou-me muito a ser o treinador que sou hoje."

SC Braga é candidato ao título? "A nossa ideia é fazer crescer o Braga, mas temos noção do momento em que estamos. O Braga já tentou tudo, já teve jogadores emprestados dos grandes, já "comprou lá fora... agora a aposta é na formação, tentar criar bases. Vamos perder jogadores, porque a jogar assim é impossível manter todos. Mas o objetivo é criar uma ideia de vitórias, sabendo que temos limitações em relação aos grandes. Temos de exigir o máximo."

O Braga agora é um alvo a abater? "É normal que seja visto dessa forma. É bom os jogadores sentirem-se assim, como um clube grande. Ajuda a ter outra mentalidade. Muita gente pode dizer que é sorte e uma derrota pode mudar tudo. O que faz o clube grande é todos os dias ser melhor. É uma identidade que queremos criar aqui.

Luta pelo 3.º lugar na I Liga: "O Famalicão é uma boa equipa, bastou ver a vitória com o Boavista. O Sporting será sempre o Sporting. Estamos a preparar sempre jogos, não temos treinado muito aquilo que pretendo, mas as vitórias ajudam a compensar essa ausência de treinos. Agora há que manter e é preciso consistência e não esquecer o dia de hoje. Precisamos de vencer já em Moreira de Cónegos."

Maior pressão para vencer: "Não é normal numa semana ganhar-se três jogos assim. Volto a dizer que tivemos a estrelinha em algumas vezes. Os jogadores aceitaram muito bem esta nova ideia e o primeiro jogo foi fundamental porque tivemos uma grande vitória.

Futuro do Braga passa pela aposta na formação? "A meu ver, estamos a criar condições para isso [apostar na formação]. Não vamos conseguir aguentar os jogadores. Se eu pudesse assinar para ficar sempre com estes jogadores assinaria. Aquilo que o Sp. Braga precisa é criar este nível [de jogadores] por mais dois anos e a partir daí não precisar de andar a vender sempre jogadores. Tenho jogadores de grande qualidade, a maioria deles pode jogar num clube grande e muito não vamos poder mantê-los por cá, daí a aposta ter de passar pela formação."

O Sporting de Braga venceu hoje o FC Porto por 1-0 e conquistou a Taça da Liga em futebol, com Ricardo Horta a marcar o golo decisivo aos 90+5, garantindo um troféu que os bracarenses já tinham conseguido em 2013. O médio Ricardo Horta marcou o golo decisivo a um minuto do final do período de descontos e garantiu a conquista do troféu, num jogo disputado no Estádio Municipal de Braga.

O FC Porto, que já tinha chegada à final nas épocas 2009/10, 2012/13 e 2018/19, continua sem conseguir vencer a única competição nacional que ainda não consta no palmarés ‘azul e branco’.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.