O Moreirense venceu o SC Braga por 1-0 e sagrou-se vencedor da Taça da Liga 2016/2017. Na final disputada no Estádio do Algarve, os comandados de Augusto Inácio bateram os ´guerreiros` do Minho por 1-0, golo marcado por Cauê no final da primeira parte, na transformação de uma grande penalidade. Depois de ter eliminado o Benfica nas meias-finais e o FC Porto na fase de grupos, a equipa de Moreira de Cónegos volta a surpreender e levanta o troféu, sagrando-se campeão de inverno em Portugal.

Este encontro não era um ´David contra Golias` como na meia-final, em que o Moreirense afastou o Benfica. No entanto, o favoritismo era do SC Braga, equipa que tentava o segundo troféu nesta prova. Já os de Moreira de Cónegos não tinham nada a perder.

Os dois técnicos operaram mexidas nas respetivas equipas: Jorge Simão, técnico dos ´guerreiros`, contou com Assis no banco, Rui Fonte fez dupla com Stojiljkovic. Xeka também entrou no onze no lugar que é habitualmente ocupado de Vukcevic. Ricardo Ferreira, Wilson Eduardo e Goiano, lesionados, eram baixas na equipa de Jorge Simão. No lado do Moreirense, várias mexidas. Sagna recuperou o lugar de lateral direito, Rebocho voltou ao onze o lado oposto da defesa. Fernando Alexandre também entrou no onze, depois de ter sido suplente frente ao Benfica. Boateng, herói frente aos ´encarnados` ficou no banco.

E jogando sem pressão, a equipa de Augusto Inácio entrou mais forte no jogo, mantendo o SC Braga quase sempre longe da sua baliza. Roberto e Francisco Geraldes deram os primeiros sinais daquilo que pretendia equipa de Inácio. Só aos 22 minutos, o Braga deu sinal de perigo, num remate de Rui Fonte que Cauê intercetou, após perda de bola de André Micael. Pouco tempo depois Artur Soares Dias anulou um golo ao SC Braga, por fora-de-jogo de Pedro Santos.

Já perto do final do primeiro tempo, aos 45 minutos, vai nascer o golo que decidiu o jogo. André Geraldes foi lançado em profundidade mas Matheus antecipou-se e agarrou a bola. Só que o guarda-redes brasileiro levantou a perna e derrubou o médio emprestado pelo Sporting. Artur Soares Dias entendeu que era falta e marcou grande penalidade, para desespero dos jogadores do Braga. Cauê não tremeu e fez o 1-0.

Nos festejos, os jogadores do Moreirense foram atingidos com petardos vindos das bancadas onde estavam adeptos do SC Braga. O jogo esteve interrompido durante alguns minutos. Cenas lamentáveis.

No segundo tempo os comandados de Jorge Simão continuaram a ter dificuldades em criar lances de perigo. A equipa não conseguia acelerar o jogo, pelo que o cronómetro corria a favor do Moreirense. Inácio apostava no contra-ataque ou ataques rápidos, para tirar partido da velocidade de Dramé e Podence, auxiliados por Roberto e Francisco Geraldes. No meio, mandavam Cauê e Fernando Alexandre, perante a inoperância do Braga.

Só nos minutos finais o jogo voltou a ganhar vivacidade. Podence isolou-se aos 73 mas Matheus defendeu e manteve o resultado em 1-0. Aos 78 é Francisco Geraldes a ter o 2-0 nos pés a passe de Podence mas o remate do médio saiu por cima. Do outro lado brilhou Makaridze que negou o golo a Rodrigo Pinho aos 83 minutos, com uma defesa por instinto, num remate que desviou ainda em Rebocho.

O Braga, já em desespero, tentou tudo mas a noite era do Moreirense que fez história ao vencer a Taça da Liga primeira vez. Um troféu merecido de uma equipa que afastou o FC Porto e o Benfica na caminhada até a final. O Braga, que já tinha vencido esta prova uma vez, vê fugido um troféu que ambicionava conquistar.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.