O jogo entre a AS Roma e o Cagliari, da 8.ª jornada da Liga Italiana, foi marcado pela polémica. O árbitro Davide Massa anulou um golo aos romanos aos 95 minutos, por suposta falta de Dzeko na área adversária e que daria os três pontos aos romanos. Uma decisão que originou muita confusão depois do apito final no Estádio Olímpico de Roma, com o treinador Paulo Fonseca a exceder-se e a ver cartão vermelho. Na conferência de imprensa, o técnico da AS Roma admitiu que foi bem expulso mas sublinhou que não gostou da forma como o árbitro conduziu o jogo.

"Não quero falar muito sobre o árbitro. Não gostei da forma como ele conduziu o jogo, mas nada tenho a dizer. Não vale a pena. Não foi a primeira vez que senti raiva na minha carreira. Embora nunca tenha desrespeitado o árbitro, reconheço que exagerei e a expulsão é merecida", reconheceu o treinador português da AS Roma.

No entanto, o técnico não entende a decisão do árbitro em anular o golo à sua equipa aos 95 e que lhe daria os três pontos.

"Primeiro, o árbitro fala com um jogador do Cagliari e diz-lhe que não é falta. Porque é que mudou de ideias? Ele fez o gesto com a mão para dizer que não é falta. Consultou o VAR [vídeo-árbitro] depois ou não? A questão é essa", perguntou Paulo Fonseca.

Quem também criticou o trabalho do árbitro Davide Massa foi Gianluca Petrachi. Em declarações à 'Sky Sports', o diretor desportivo da AS Roma disse que o golo de Kalinic jamais seria anulado em Inglaterra.

"Não enlouquecemos! Agora ninguém olha para o VAR? Estamos num jogo de futebol, não no teatro. É impensável anular um golo destes. O futebol é um jogo de homens, em Inglaterra seria um absurdo anular este golo. Estamos a falar de um erro técnico do árbitro, por isso o jogo foi adulterado. Merecíamos ganhar com um golo limpo aos 90+5", destacou Gianluca Petrachi à 'Sky Sport'.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.