O Nápoles venceu hoje por 2-1 na receção à Roma, treinada pelo português Paulo Fonseca, na 30.ª jornada da Liga italiana de futebol, graças a um momento de inspiração de Lorenzo Insigne, já perto do fim.

O internacional italiano tirou um ‘coelho da cartola’ aos 82 minutos, com um golo extraordinário, no qual tabelou com um colega no flanco esquerdo do ataque napolitano, a bola foi rechaçada pela defesa romana para os pés de Insigne, que, do bico da área, efetuou um remate em arco, fora do alcance do guarda-redes espanhol Pau Lopez.

O Nápoles dominou o jogo e podia ter evitado sofrer até perto do fim se tivesse sido mais eficaz nos momentos de finalizar as jogadas.

A equipa napolitana colocou-se na frente do marcador aos 55 minutos, com um golo ‘luso-espanhol’, já que o cruzamento que esteve na sua origem foi efetuado pelo internacional português Mário Rui e a finalização teve a autoria do espanhol José Callejon.

A equipa romana chegaria ao empate cinco minutos depois, num lance em que a bola foi aliviada por um defesa da Roma com um pontapé para o meio-campo, onde surgiu Edin Dzeko a dominar e a desmarcar o arménio Henrikh Mkhitaryan, que correu trinta metros para efetuar um remate rasteiro e colocado.

Com este triunfo, o Nápoles subiu ao sexto posto, com 48 pontos, alcançando a pontuação da Roma, que é quinta classificada, numa tabela classificativa liderada pela Juventus - na qual alinha o avançado português Cristiano Ronaldo -, com 75, seguida da Lazio, com 68.

Horas antes, a Atalanta tinha-se imposto por 1-0 em Cagliari, com o único tento do desafio a ser apontado pelo avançado colombiano Luis Muriel, de penálti, aos 27 minutos, que originou também a expulsão do defesa Carboni.

A formação de Bérgamo manteve o quarto lugar, com 63 pontos, e um do terceiro, ocupado pelo Inter de Milão, que perdeu por 2-1 na receção ao Bolonha e desperdiçou a oportunidade de pressionar a Lazio no segundo lugar, mantendo a distância de quatro pontos. O Cagliari segue em 11.º, com 39.

O belga Lukaku deu vantagem aos milaneses quando decorria o minuto 22, na recarga a um cabeceamento do argentino Lautaro Martinez, que podia ter dilatado a vantagem já no segundo tempo, mas permitiu a defesa a Skorupski na cobrança de grande penalidade, quando o Bolonha tinha menos um elemento, desde o minuto 57, face à expulsão de Roberto Soriano.

Mesmo em inferioridade numérica, o Bolonha conseguiu empatar, com um tento do gabonês Musa Juwara (74 minutos), antes de o compatriota Musa Barrow (80) consumar a reviravolta, já depois do milanês Bastoni receber também ordem de expulsão.

O Verona (oitavo classificado), com o português Miguel Veloso no ‘onze’, podia ‘apanhar’, provisoriamente, o Nápoles, mas acabou batido por 2-0 pelo ‘aflito’ Brescia, que voltou a vencer 14 jogos depois e deixou o último posto da prova, agora ocupado pelo Spal, derrotado por 3-0 no reduto da Sampdoria.

O polaco Karol Linetty, com um ‘bis’, e Manolo Gabbiadini, confirmaram a retoma às vitórias da ‘Samp’ e, consequentemente, a subida à 14.ª posição, partilhada com a Udinese, ambos com 32 pontos.

A precisar de pontos para se manter na elite do futebol transalpino, o Génova empatou a dois golos em Udine, e soma 27, no 17.º lugar, o primeiro acima da zona de despromoção.

A Fiorentina, 13.ª colocada, com 34 pontos, bateu (2-1) fora de portas o Parma (12.º colocado, com 39), do português Bruno Alves, que jogou os 90 minutos. O defesa chileno Erick Pulgar foi a figura da partida, ao apontar duas grandes penalidades.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.