O internacional cabo-verdiano de sub-20 Euclides Andrade “Clé”, um dos dois futebolistas que não regressou ao país após jogo com Portugal, chega esta terça-feira a Cabo Verde, informou o próprio jogador à Inforpress.

Em conversa via Internet, o atacante do Boavista da Praia disse que já conversou com os dirigentes da Federação Cabo-verdiana de Futebol (FCF) e que ficou tudo acertado para o seu regresso.

Sem explicar as razões de ter ficado em Portugal, Clé revelou que depois de ponderar muito decidiu voltar porque quer jogar futebol, uma vez que, segundo ele, ficar em Portugal “nessas condições” seria muito difícil representar alguma equipa.

“Peço desculpas pela minha atitude, foi uma decisão sem pensar”, lamentou o jogador, avançando que o seu colega de selecção Luís Fernandes “Júnior”, do Desportivo da Praia, “não mudou de ideia”, e decidiu por ficar em Portugal.

Em comunicado de imprensa, divulgado segunda-feira, a FCF informou que os dois atletas estiveram no aeroporto de Lisboa, no dia de regresso (31 de Janeiro), tendo feito “check-in” e que, posteriormente, “desviaram o caminho e não chegaram a entrar no avião que tinha destino a cidade da Praia”.

“A FCF já informou as autoridades competentes, em Cabo Verde e Portugal, do ocorrido e neste momento a fazer os possíveis para que os dois atletas regressem ainda nesta semana, para que tal atitude não prejudique futuros convocados residentes, com problemas de obtenção de vistos”, lê-se no comunicado.

A ausência de Clé no ataque do Boavista foi notada este sábado, no jogo contra o Relâmpago, bem como a de Júnior, no meio campo do Desportivo, na partida de sexta-feira, em jogos a contar para décima quarta jornada do campeonato.

Clé lidera a lista dos marcadores do campeonato regional de Santiago Sul, com 11 golos e Júnior tem sido um dos destaques dos ‘militares’.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.