A Federação Cabo-verdiana Futebol (FCF) denunciou hoje que a atitude dos jogadores Clé e Júnior deveu-se ao facto de terem sido “mal aconselhados por pseudo-empresários” e dirigentes desportivos com alguma responsabilidade no futebol em Cabo Verde.

Os dois futebolistas da seleção cabo-verdiana sub-20 Euclides Andrade “Clé” e Luís Fernandes “Júnior” não viajaram com a comitiva para Cabo Verde, após participarem num jogo com Portugal, mas já regressaram ao país esta terça-feira.

Em nota de imprensa divulgada hoje, a FCF adianta que esse “pseudo-empresários” que aliciaram os jogadores com “promessas irrealistas” que criam “ilusões infundadas” já foram identificados.

“Focados em continuarem a perseguição do sonho, de serem jogadores profissionais no estrangeiro e consequentemente darem as suas famílias melhores condições de vida, Clé e Júnior reconheceram o erro e pediram desculpas pelos acontecimentos e que em momento algum, quiserem colocar em causa a imagem do país”, lê-se na nota enviada pelo organismo máximo do futebol nacional.

A FCF enaltece a decisão dos dois jovens jogadores, “que muito ainda têm para dar ao futebol nacional”, e promete continuar a trabalhar no projeto de desenvolvimento das seleções nacionais, com uma forte aposta nas camadas jovens.

Clé e Júnior integram a lista dos atletas residentes que integraram as seleções nacionais de sub-19 e sub-20 que disputaram semana passada três jogos amistosos com os combinados portugueses do escalão, no território lusitano.

Num primeiro comunicado, divulgado segunda-feira, a FCF informara que os dois atletas fizeram o ‘check-in’ no aeroporto de Lisboa, mas “não chegaram a entrar no avião que tinha como destino a cidade da Praia”, na quinta-feira, 31.

Clé milita no Boavista Futebol Clube da Praia e lidera a lista dos marcadores do campeonato regional de Santiago Sul, com 11 golos ao passo que Júnior tem sido um dos destaques da formação “militar” do Desportivo da Praia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.