A iluminação do estádio do Sporting da Covilhã, a inaugurar na quarta-feira, representou para o emblema da II Liga de futebol um investimento a rondar os 750 mil euros.

O valor foi adiantado à agência Lusa por José Mendes, presidente dos 'leões da serra', que afirma se tratar de "uma mais-valia para o estádio e também para a cidade".

"Todos devem ficar orgulhosos das instalações, que estão cada vez melhores e as condições do estádio são, sem dúvida, muito boas. Ficamos todos satisfeitos por mais uma obra que fica para o futuro, num estádio que estava praticamente desativado e, nos últimos anos, temos-lhe dado as condições necessárias", realça José Mendes, em declarações à agência Lusa.

Segundo o dirigente, as quatro novas torres de iluminação vão permitir "todo o tipo" de transmissões televisivas e dar resposta às exigências da Liga.

Dada a localização do Estádio Santos Pinto, no bairro mais alto da cidade, junto à floresta, foi necessário ter em conta o vento muito forte que por vezes se faz sentir, daí as sapatas com cinco metros de profundidade e quatro de largura, "com uma estrutura de ferro muito forte".

Cada um dos postes, com 35 metros de altura, tem 30 holofotes.

A obra, que levou algum tempo a concluir, devido aos aspetos burocráticos e às exigências do projeto, foi totalmente suportada pelo clube e já está paga, vinca José Mendes.

"É um investimento que o clube fez, que se encontra liquidado e é mais uma obra importante para o clube, para a cidade e para os covilhanenses", sublinha o dirigente serrano, com as obras de remodelação do recinto quase concluídas, de forma a transformá-lo num "estádio à inglesa".

Com a nova iluminação os serranos passam a poder fazer jogos, em sua casa, à noite, perspetiva que poderá levar mais adeptos ao recinto em algumas ocasiões.

"Jogos em dias de semana podem ser alterados, com o consentimento do clube visitante, para a noite", antecipa José Mendes, que classifica a obra como "imponente".

José Miguel Oliveira, vereador com o pelouro do desporto na Câmara Municipal da Covilhã, sublinha o apoio logístico dado aos 'leões da serra', nomeadamente através da utilização do Complexo Desportivo da Covilhã, frisa que o município ajuda "dentro das possibilidades" e elogia as estruturas criadas para "outros voos" do clube.

"Financiámos os sanitários. Compreendo que o senhor presidente gostaria que tivéssemos financiado mais, mas a verdade é que, dentro das nossas possibilidades e do plano financeiro do município, temos apoiado", realça o vereador socialista, em declarações à agência Lusa.

O eleito na autarquia covilhanense desafia ainda o emblema serrano, que tem o direito de superfície do Estádio Santos Pinto, a aproveitar o recinto, fora do calendário da época, para a realização de "outros eventos desportivos e culturais".

A primeira iluminação artificial do Estádio Santos Pinto foi inaugurada em 2001, mas era insuficiente para a realização de jogos oficiais e servia apenas para permitir os treinos dos escalões de formação.

As seleções de futebol de sub-20 de Portugal e Cabo Verde defrontam-se na quarta-feira, às 17:00, no campo do Sporting da Covilhã, num encontro de preparação para o Mundial 2019, que se disputa na Polónia, entre 23 de maio e 15 de junho.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.