O golo que resolveu o encontro surgiu no início da segunda parte, aos 48 minutos, por Borges.

Com as contas da manutenção em mente, as duas formações entraram cautelosas no Municipal de Mafra e nos primeiros minutos dividiram o comando do jogo.

Aos sete minutos, Harramiz arranjou espaço para o primeiro remate do jogo e, pouco depois, aos 13, André Vieira respondeu para o Farense, com um remate que saiu ligeiramente por cima da trave da baliza de Godinho.

Foi muita a luta a meio campo e o jogo entrou numa fase mais aborrecida, sem grandes oportunidades junto das balizas. O muito calor que se fez sentir em Mafra obrigou Jorge Sousa a fazer uma pausa para hidratação quando estavam jogados 30 minutos e, depois do reatamento, surgiu a melhor ocasião do jogo, com Bruno a livrar-se da marcação na área algarvia e a rematar de pé esquerdo ao lado da baliza defendida por Hugo Marques.

O intervalo fez bem ao Farense, que entrou para a segunda parte a todo o 'gás'. No primeiro lance de ataque que teve no segundo tempo, Irobiso atirou à trave, o Mafra foi lento na resposta e a bola ficou em Borges, que ajeitou e rematou sem hipóteses para Godinho, adiantando os algarvios no marcador.

O jogo entrou num ritmo acelerado e o Mafra respondeu de imediato, com Flávio a pôr Hugo Marques em sentido com um remate à malha lateral.

Em vantagem, o Farense passou a jogar preferencialmente em contra-ataque e num desses lances Irobiso quase fez o 2-0.

Depois, foi o Mafra a assumir o comando do jogo e chegaram as melhores oportunidades da equipa de Capucho, com Flávio, Vinicius Tanque e Harramiz a testarem Hugo Marques. O guarda redes algarvio mostrou-se à altura e segurou a vantagem no marcador.

Nos 10 minutos finais, e apesar de jogar permanentemente no meio campo do Farense, com pouco discernimento, o Mafra não conseguiu criar verdadeiro perigo.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.