O FC Porto ficou este domingo a um ponto do Benfica e da liderança do campeonato, depois de vencer o Vitória de Guimarães (2-1). Devia ser esta a notícia do jogo, mas a verdade é que o futebol passou para segundo plano face ao episódio lamentável que envolveu Marega. O avançado maliano fez o 1-2 final, já depois do autogolo de Douglas e do empate de Bruno Duarte, e acabou por abandonar o campo minutos depois, agastado com as manifestações de racismo vindas das bancadas.

Os 'dragões' estiveram por cima durante a maior parte do jogo, apesar da boa réplica dos vitorianos, que tiveram bons momentos e que acabaram por sofrer o segundo golo na sua melhor fase. No entanto, acusaram muito esse momento e não conseguiram voltar a mandar na partida. E Marega, que tinha tudo para ser 'só' o protagonista de um duelo intenso e bem jogado no D. Afonso Henriques, onde celebrou o 100.º golo da carreira, saiu como protagonista de um caso que envergonha o futebol português.

Sem o castigado Soares, Zé Luís liderou o ataque portista, numa equipa onde Mbemba voltou a ser opção face à lesão de Pepe e Corona regressou à lateral direita. Por sua vez, Ivo Vieira fez apenas uma alteração em relação ao onze que goleou o Famalicão (0-7) na última ronda, com Lucas Evangelista a render João Carlos Teixeira, a contas com um problema físico de última hora.

Ora se de um lado havia um FC Porto a precisar de vencer para se aproximar do Benfica, que na véspera havia perdido na Luz diante do SC Braga, do outro estava um Vitória a olhar para os lugares europeus. O resultado? Vinte minutos alucinantes, com os 'dragões' a entrarem com uma intensidade altíssima, bem ao seu jeito, e a chegarem rapidamente à vantagem (10'): boa jogada pela direita, com Zé Luís a cruzar atrasado para Sérgio Oliveira, que encheu o pé e atirou com estrondo à trave. A bola bateu nas costas do guardião vitoriano e acabou por entrar.

A equipa vimaranense conseguiu libertar-se da ‘asfixia’ causada pelos azuis e brancos e subiu no terreno, criando três oportunidades de golo em três minutos. Após combinação entre Florent e Ola John na ala esquerda, Marcus Edwards ficou isolado ao segundo poste, mas viu Marcano negar-lhe o golo em cima da linha de baliza. Um minuto volvido, Pepê Rodrigues obrigou, de longe, Marchesín a uma defesa difícil, e depois foi Bruno Duarte a picar a bola por cima de Marchesín e a acertar no ferro - estava, contudo, em posição irregular.

Apesar das tentativas, a formação de Ivo Vieira continuou a sentir dificuldades para ligar o jogo e criar desequilíbrios junto da área adversária, com o FC Porto a controlar o jogo até ao intervalo, mesmo a um ritmo mais baixo e sem fazer um remate enquadrado com a baliza. Ainda assim, Marega podia ter feito o 2-0 aos 40 minutos, após uma jogada de Otávio pelo meio, mas atirou ao lado.

A entrada no segundo tempo voltou a ser intensa, mas com inversão de papéis. Depois de um primeiro aviso de Florent Hanin, que quase obrigou Mbemba a marcar na própria baliza, Ola John avançou pelo flanco esquerdo e conseguiu cruzar no meio de três jogadores do FC Porto para o segundo poste, onde estava Bruno Duarte, pronto para encostar de cabeça para a baliza deserta - Marchesín já estava batido.

O empate empolgou o Vitória de Guimarães, que chegou mais vezes às imediações da área portista, enquanto a formação visitante apostava tudo no passe longo a explorar a profundidade de Marega. Foi assim que, aos 60 minutos, Mbemba encontrou o maliano completamente isolado na frente, aproveitando um corte atabalhoado de Frederico Venâncio, com o avançado a fazer um chapéu na cara de Douglas e a dar o triunfo ao FC Porto. Os festejos do ex-Vitória (que viu amarelo) foram interpretados como uma provocação pelos adeptos da casa, que foram arremessando cadeiras para o relvado.

Corona ainda desperdiçou uma grande oportunidade aos 82 minutos e Davidson teve o empate nos pés já em cima do apito final, mas nada mais interessava perante a saída de campo de Marega (71'), na sequência dos insultos racistas que ia ouvindo das bancadas. Fez sinais de desagrado para os adeptos, virando os polegares para baixo, e ninguém o conseguiu demover – nem mesmo Sérgio Conceição. O FC Porto ganhou e ficou a um ponto do Benfica, é um facto. Só que neste domingo todos perdemos.

A figura

Marega: Decidiu o jogo num lance de classe ao picar a bola sobre Douglas, num triunfo que deixa os 'dragões' mais perto da liderança da I Liga. Contudo, o golo 100 da carreira do maliano acabou por passar ao lado de todos os títulos e manchetes, por causa de dez minutos que mancharam a partida no D. Afonso Henriques.

Reações

Sérgio Conceição: "O que se passou é lamentável. Somos uma família independentemente da cor"

Ivo Vieira: "O nosso futebol já está a fervilhar e era bom que houvesse alguma serenidade"

André André prefere não comentar o caso que envolveu Marega

Marega reage ao caso: "Vão-se f**** racistas idiotas"

Presidente do V. Guimarães: "Não tive perceção de insultos racistas, mas sim de um atleta que incendiou as bancadas"

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.