A reestruturação financeira do Sporting, que tem sido levada a cabo nos últimos meses, está perto de estar concluída. De acordo com o jornal O Jogo, os 'leões' estão a ultimar o acordo de renegociação da dívida bancária com as entidades financiadoras da sociedade e do clube - Banco Comercial Português (BCP) e Novo Banco, e deverão conseguir uma redução da dívida entre os 100 e os 130 milhões de euros.

A conclusão da reestruturação financeira pode vir a ser anunciada até à assembleia geral do Sporting, que está marcada para a próxima quinta-feira, e que terá como objetivo a aprovação do relatório e contas do último exercício financeiro, que terminou a 30 de junho.

Aproveitando a conjuntura internacional, em que os bancos, devido às imposições da União Europeia, têm de se libertar da dívida acumulada, as bases do acordo deverão passar por uma terceira entidade, no caso o fundo Apollo, que assumirá parte dos créditos libertados pela banca.

Os 'leões', recorde-se, devem ao todo cerca de 362 milhões ao BCP e ao Novo Banco, divididos entre VMOC - Valores Mobiliários Obrigatoriamente Convertíveis (135 milhões) -, empréstimos e financiamentos (154) e dívida do clube (73).

Perante esse montante, os bancos vão ceder o mesmo a uma terceira entidade, encaixando um valor entre 200 e 220 milhões de euros, enquanto o Sporting reduz a verba em dívida entre 100 e 130 milhões de euros, ainda que pelo meio haja sempre cursos inerentes à intermediação e participação do fundo de investimento na operação.

O acordo está a ser conduzido pelo vice da SAD do Sporting, Francisco Salgado Zenha, e prevê ainda um perdão de 94,5 milhões de euros com a cedência das VMOC, um acordo que já tinha sido iniciado pelo direção de Bruno de Carvalho e que foi concluído pela atual direção.

A SAD dos 'leões' vai ter de pagar cerca de 40,5 milhões de euros ao BCP e ao Novo Banco para reaver esses Valores Mobiliários Obrigatoriamente Convertíveis. Na altura, o Sporting recebeu cerca de 135 milhões.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.