Sérgio Conceição fez este sábado a antevisão ao encontro com o Vitória de Guimarães, da quarta jornada do campeonato, e foi questionado sobre a exibição de Uribe no clássico frente ao Benfica, jogo no qual fez 14 recuperações de bola.

O técnico salientou que não gosta de individualizar as análises aos jogadores, mas abriu uma excepção para elogiar o reforço dos dragões.

"Não gosto muito de individualizar. É um jogador se calhar desconhecido para a maioria, como Marchesín. Dei indicação e de acordo com aquilo que o clube podia fazer em termos de contratação, percebi que era importante para a equipa, assim como todos os outros. Agora, o Uribe o que fez na Luz... É acima de tudo um jogador muito disciplinado, muito rigoroso naquilo que se pede. Não tem tido muita chegada porque o que lhe pedi na Luz e contra o V. Setúbal foram coisas diferentes, de acordo com o momento da equipa e o que queria para o próprio jogo. Pode não ser um jogador espetacular, mas é um espetáculo de jogador, se me permitem", sublinhou Sérgio Conceição.

O técnico dos portistas falou ainda da aposta em Jesús Corona como lateral direito nos últimos jogos.

"A equipa vai evoluindo. A riqueza do futebol é em todos os jogos dar-nos algo de diferente. Tanto para melhorar como situações positivas. O Corona... Eu já disse isto algumas vezes: nós somos um bocadinho culpados porque fechamos o nosso dia a dia do nosso trabalho. Antigamente, não há muito tempo, era complicado fechar o treino a oito adeptos do Olhanense. Era uma complicação, vocês nem podem imaginar (risos). Mas lá consegui e eles compreenderam e íamos beber uma cervejinha juntos. Vocês não se apercebem, mas o Corona trabalhou tanto... Tem tantas unidades de treino a lateral como a extremo ou a 10, mas anda lá perto. Faz parte do nosso trabalho. Para nós não é surpresa porque trabalhamos diariamente. Às vezes dão certo, outras não, claro. Há tanto pormenor aqui no meio. Fazemos as coisas de forma pensada", acrescentou.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.