Renan Ribeiro chegou esta temporada ao Sporting proveniente do Estoril-Praia e foi essencial nas conquistas da Taça da Liga e da Taça de Portugal, defendendo, em duas ocasiões distintas, as grandes penalidades que garantiram aos leões estes dois títulos.

Em entrevista ao jornal 'O Jogo', o brasileiro revelou o segredo para esta segurança na cobrança dos castigos máximos: "Trabalho! Trabalho de forma séria, não é fácil acordar muitos dias todo dorido. Mas quando conquistamos títulos como estes vemos que valeu a pena o esforço, abrir mão de muitas coisas para conseguir estas duas taças."

Sobre a defesa da grande penalidade decisiva na final da Taça de Portugal, o guardião explicou que sabia para onde Fernando Andrade ia bater o castigo máximo.

"Já tinha visto os pénaltis dele, tal como de outros, é o movimento do corpo, o olhar, a forma como partem para a bola...Confesso que muitos enganaram, mas o Fernando Andrade...Eu sabia qual o canto de confiança dele e segui a minha intuição. Consegui esperar e usar a minha explosão e força para sair no tempo certo na reação à bola", salientou.

Renan Ribeiro foi ainda questionado sobre o episódio com Sérgio Conceição no último jogo da I Liga - em que o técnico portista terá agredido o guarda-redes -, e referiu que a sua atitude "não foi bacana".

"É uma pena, no futebol temos de ser um exemplo para as pessoas. É uma situação que me deixa chateado, pois somos referências para as pessoas e o que ele fez não é futebol. Se queremos futebol moderno e bonito, aquilo não é nada, não é agradável. [...] Sérgio Conceição sabe que a atitude dele não foi 'bacana', mas o mais importante é que vencemos a Taça", concluiu.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.