As razões que levaram ao adiamento do plano foram, segundo Nobre Guedes, de "ordem burocrática e não tiveram nem terão quaisquer implicações" na situação financeira do clube.

"São processos complicados que demoraram mais tempo do que eu pensava. Mas os acordos com os bancos estão feitos há muito tempo, desde Outubro de 2009, quando foi dada a respectiva aprovação pela Assembleia-Geral do Sporting, que era a peça que faltava", disse o responsável pela área financeira da SAD.

Nobre Guedes aludia à reunião magna do clube em que foi aprovada a passagem da Sporting Comércio e Serviços para a Sociedade Anónima Desportiva (SAD) para o futebol.

Quantos às razões de "ordem burocrática" que atrasaram o processo, Nobre Guedes invocou "a necessidade de fazer e lançar prospectos e a colocação das obrigações pela banca", as quais demoraram mais tempo do que o "Sporting e a própria banca esperavam".

Quando a implementação do plano foi adiada, Nobre Guedes deu "um prazo de seis meses" para a iniciar, que era "alargado" já para salvaguardar eventuais atrasos, mas este deve ser superado.

"Já não digo nada. Da última vez achei que seis meses chegavam e sobravam e afinal parece que não", afirmou o dirigente "leonino", para quem o mais importante é que "a relação com os bancos está acertada há muito tempo", mesmo antes da autorização concedida pela Assembleia-Geral.

Quanto ao plano propriamente dito, Nobre Guedes admitiu que foram efectuadas "algumas pequenas alterações" em relação à versão inicial, uma delas decorrente da aprovação pela Assembleia-Geral da quota accionista de 50 por cento que garante ao Sporting a maioria do capital na SAD.

Essa garantia não estava salvaguardada no plano inicial de reestruturação financeira, que foi colocado à consideração dos sócios na Assembleia-Geral de Outubro.

Questionado sobre a evolução das negociações em curso para o lançamento do canal de televisão do Sporting, Nobre Guedes não quis avançar pormenores, até porque as mesmas não estão sob a sua responsabilidade directa.

Admitiu, no entanto, que a televisão do Sporting vai funcionar "em moldes muito diferentes do canal do Benfica" e que a empresa que a vai patrocinar "não será a Portugal Telecom".

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.