O caminho está aberto à concretização da vontade de José Eduardo Bettencourt de ter André Villas Boas no comando técnico da equipa do Sporting, depois de ontem o clube ter comunicado à Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) que não vai exercer o direito de opção para prorrogar do contrato com Carlos Carvalhal.

E o Sporting tentou salvaguardar-se de tentativas exteriores que possam “roubar” o desejado técnico. O jornal O Jogo diz, na edição de hoje, das conversações mantidas nos últimos tempos entre o Sporting e Villas Boas resultou a formulação de um pré-acordo que tende à celebração de um contrato de trabalho por, pelo menos, dois anos. Ficou, também, estabelecido um valor indemnizatório caso haja quebra de contrato por uma das partes, no valor de um milhão de euros.

O discurso afirmativo, uma personalidade ambiciosa e a capacidade de imposição de espírito de liderança são características do ainda treinador da Académica que atraem Bettencourt. Parece estar tudo encaminhado para Villas Boas assumir depois de Maio a equipa leonina, algo que não sucedeu em Novembro de 2009, quando o presidente do Sporting tentou que fosse o sucessor do demissionário Paulo Bento.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.