Ricardo Rachetti, dirigente do Peñarol, acusa os dirigentes do Benfica de serem "piratas". De acordo com Rachetti, os "encarnados" aproveitaram-se das declarações do jornalista Jorge da Silveira para alterarem os termos da transferência de Jonathan Rodríguez para a Luz.

"Saí do avião para assinar e deparei-me com essas declarações, que já tinha ouvido. Nunca pensámos que houvesse tanta repercussão. As declarações foram infelizes, mas isso não apaga o facto de os portugueses as terem usado como uma ferramenta na negociação", começou por explicar, em declarações ao jornal El Observador.

"O advogado Paulo Gonçalves disse-me: 'não vamos avançar'. Vocês esconderam-nos esta informação e este comportamento do jogador. Os portugueses são, obviamente, piratas. Pensam em tudo para negociar e estão cinco passos à nossa frente. Mas dissemos-lhes que tínhamos um pré-acordo assinado e que tinham de o cumprir", acrescentou.

Ainda segundo Rachetti, o presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, fez então um ultimato. "Se não fosse firme, passavam-me por cima. Mas depois apareceu o presidente do Benfica a dizer que só aceitava perante determinadas condições. Falei com os meus colegas e concordámos que tínhamos de aceitar", revelou ainda o dirigente do clube uruguaio.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.