Federico Ruiz, pai e empresário de Alan Ruiz, saiu em defesa do avançado do Sporting, que está a trabalhar à margem da equipa principal depois de ter reagido mal à substituição de Jorge Jesus no encontro com o Vilaverdense, para a Taça de Portugal.

"Se o jogador entra bem, joga medianamente bem e o tiram, deve sentir-se menos do que os demais. O Alan já tem um nome, não o ganhou no Sporting. Já o tinha ganho no futebol argentino e no futebol brasileiro. O que diz o treinador e a direção é uma questão deles, nós temos de ver a parte legal. O Alan não é um jogador desrespeitoso, mas vamos ver como acaba a história", disse Federico Ruiz, em declarações à rádio TSF.

O empresário alertou ainda para o facto de o atleta ter jogado lesionado durante a pré-época.

"Quis demonstrar que podia estar no grupo e depois deu conta que, se não parasse, a lesão não passava. Ele tinha uma queixa no joelho e continuou a dar o melhor. O Alan veio para o Sporting por sua vontade, não veio arrastado. Está a treinar à parte, mas é uma questão de esperar pelo processo e esperar o que os nossos advogados vão fazer para ver como se resolve isto", acrescentou.

"Os adeptos têm direito, vão ao campo, pagam bilhete, têm direito a assobiar ou não assobiar, cantar ou não cantar, isso está bem. São sócios, pagam as suas quotas, têm direito. Depois, o jogador também tem o direito de sentir-se mal quando não joga bem e sair chateado do relvado. O jogador argentino tem muito sangue. Quando as coisas não saem bem, sai irritado do campo e acho que foi o que aconteceu naquele momento, mas acho que não faltou ao respeito a ninguém", finalizou.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.